5 às 5ªs – Detetives
por Thiago
em 13/08/15

5 às 5as

 

Já faz um tempo que ando me aventurando nas leituras de romances policiais, mas mais voltado para aqueles com personagens que exercem o papel de detetive. Nesta lista resolvi listar 5 que acho interessantes, não os mais importantes ou relevantes (ou seja, não encontrará aqui aqueles que não gosto, como os da Agatha Christie, mas reconheço a importância deles).

 

dupin

 

1- Auguste Dupin – Edgar Allan Poe

Talvez o primeiro detetive da literatura, antes mesmo que o grande Sherlock. O personagem aparece em 3 contos: Os assassinatos da Rua Morgue, O mistério de Marie Roguet e A carta roubada, todos na década de 1840.

Vale ressaltar que Dupin não é policial ou detetive profissional, mora em Paris com um amigo anônimo que é narrador de suas histórias.

Vários filmes foram feitos contando a história de Dupin e dos assassinatos da Rua Morgue.

 

sherlock_holmes

 

2- Sherlock Holmes – Arthur Conan Doyle

O mais famoso e carismático personagem da literatura. Presente em cinema, quadrinhos e inspirando diversos personagens que vieram depois, entretanto podemos perceber uma similaridade deste com Dupin de Poe.

A grande diferença está no método utilizado pelo detetive amador, a lógica indutiva. A grande dupla Holmes e Watson aparece em 1887, na história “Um estudo em vermelho”.

 

sam spade

 

3 – Samuel Spade – Dashiell Hammet

O autor é considerado o pai do romance policial norte americano, precursor da literatura noir, um subgênero da literatura policial. Aquele ar esfumaçado, clima de suspense, romance, crime, sexo e mistério.

Spade aparece no aclamado livro “O falcão maltês”, em 1930. Com um ar mais sério e armado de uma tremenda cara de pau, o personagem marcou o estilo por conter em suas histórias elementos que se tornaram presentes nas histórias de detetive, como corrupção, dilemas morais, gangsters, mulheres, tanto boas quanto não tão boas assim, além das boas e não tão boas assim ao mesmo tempo.

 

marlowe

 

4- Phillip Marlowe – Raymond Chandler

Apareceu pela primeira vez em 1939 no livro “O sono eterno”. O personagem marca época por ser mais humano do que o modelo anterior, mesmo trazendo várias características de Samuel Spade de Hammet. Aqui encontramos um policial com problemas com bebida, sarcástico, melancólico. Entre um cigarro e outro sempre trazia um ar contemplativo para decidir se aceitava ou não um caso. Dilemas morais eram sempre postos dentro do caso. Depois dele, muitos que vieram foram personagens muito, mas muito influenciados por ele.

 

ed mort

 

5- Ed Mort – Luís Fernando Veríssimo

Vamos ao brasieiro da lista, o cômico Ed Mort. Temos aqui uma brincadeira com essa ideia noir de detetive. Ed Mort é um detetive particular sempre sem grana, praticamente sem clientes e acompanhado pelas 117 baratas e o rato albino Voltaire, que vivem no seu escritório em Copacabana.

As histórias curtas desta sátira surgem no fim da década de 70 e prosseguem na década de 80.

 

Menção honrosa para Mandrake de Rubem Fonseca, Harry Hole de Jo Nesbo, Mikael da série Millenium de Stieg Larsson, Alex Cross de James Paterson. Nos quadrinhos vale lembrar de Dick Tracy e do Batman, afinal além do super dinheiro o que dá sua identidade é ser um grande detetive.

Boa leitura a todos!!

Postado em: 5 às 5ªs

Nenhum comentário em “5 às 5ªs – Detetives”


 

Comentar