Arquivo da categoria 'Resenhas'



Resenha – MTST: 20 anos de história
por Bruno Lisboa
em 04/05/20

Nota: Criado para ser a ramificação urbana do MST, o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) é um coletivo político / social dos mais relevantes na contemporaneidade. Fundado em 1997, o movimento tem como principais bandeiras o direito à moradia, a reforma urbana e a diminuição da desigualdade social. Em 2017 o coletivo celebrou 20 anos
Postado em: Resenhas
Tags: , , ,

Resenha – O velho está morrendo e o novo não pode nascer
por Bruno Lisboa
em 22/04/20

Nota: Antônio Gramsci foi um dos mais notórios teóricos e ativistas políticos de seu tempo. Nascido na Itália no século XIX, Gramsci adotava o marxismo como linha de pensamento e era integrante do Partido Comunista. Seu discurso afrontoso à ditaduras e a defesa da liberdade acabaram por resultar em sua prisão, na era do ditador
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – Audre Lorde Irmã Outsider
por Juliana Costa Cunha
em 21/04/20

Nota: “Como uma lésbica negra, feminista e socialista de 49 anos, mãe de dois, incluindo um menino, e integrante de um casal interracial, eu geralmente me percebo como parte de um grupo definido como outro, desviante, inferior ou simplesmente errado. É tradição, na sociedade americana, esperar que os membros dos grupos oprimidos e objetificados se
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – Chamamento ao povo brasileiro
por Bruno Lisboa
em 15/04/20

Nota: Quem tem medo de Carlos Marighella? Esta pergunta tem ressoado no imaginário de muitos brasileiros e há muito tempo. Porém nos últimos anos a história deste herói brasileiro (ou vilão para alguns) , que lutou bravamente contra a ditadura militar, voltou à tona devido a censura direcionada a cinebiografia do mesmo, dirigida por Wagner
Postado em: Resenhas
Tags: , , , , ,

Resenha – Muito além do corpo
por Juliana Costa Cunha
em 08/04/20

Nota: Luzilá, pesquisa a história das mulheres no século 19. É professora da UFPE e minha conterrânea. Seus estudos na perspectiva de gênero, entre outras questões, se baseiam na liberdade. E, para ela, o amor é liberdade. Muito além do corpo foi publicado em 87. É narrado por uma mulher (suas obras são sempre narradas
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – Os Testamentos
por Juliana Costa Cunha
em 30/03/20

Nota: Li recentemente o Conto da Aia, escrito por Margaret Atwood nos anos 80. Uma distopia que, aqui no Brasil, ganhou fôlego após a adaptação do livro pela série intitulada The Handmaid’s Tale. Não fiz a resenha aqui, pois o livro não me impactou como aconteceu com a maioria das mulheres que o leram ou
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Quarentena com o Poderoso – Podcasts político/culturais
por Bruno Lisboa
em 25/03/20

Há tempos os meios tradicionais de informação (leia-se rádio e televisão) tem deixado de ser a minha principal referência quando o assunto são notícias em suas mais variadas searas. Se a TV e rádio seguem insistindo, por vezes, em formatos datados e limitados, a internet acabou por ganhar lugar de destaque, ao oferecer conteúdo de
Postado em: Resenhas
Tags:

Resenha – Horses
por Juliana Costa Cunha
em 16/03/20

Nota: Horses é o livro de estreia de Agnaldo de Assis Nascimento e seu título é uma homenagem a Patti Smith e sua música de mesmo nome. Agnaldo também é vocalista e guitarrista da banda Versus Mare. Portanto, o universo musical está na vida do autor, assim como a vida do autor está neste universo.
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – Jack o estripador: Rastro de sangue
por Ragner
em 11/03/20

Nota: A arte (com a literatura, música, cinema) já trabalhou, de diversas maneiras, a figura do notório assassino em série que assombrou a Londres vitoriana do ano de 1888. Jack, o estripador, ganhou o universo ficcional e povoa o gênero de terror há mais de um século. Sua figura passeia entre a ficção e a
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – Herland: A terra das mulheres
por Patricia
em 04/03/20

Nota: Charlotte Perkins Gilman causou certo furor nos leitores nacionais quando sua obra “O papel de parede amarelo” foi lançado no Brasil em 2016 – 124 anos depois de sua publicação original. Apresentado como um “clássico da literatura feminista”, o conto sobre uma mulher forçada a ficar presa em um quarto para seu próprio bem
Postado em: Resenhas
Tags: , ,