Dica De Estreia – Liga Da Justiça
por Ragner
em 16/11/17

Nota:

 

Junto ao lançamento do filme da maior equipe de super heróis dos quadrinhos, nós do Poderoso nos permitimos adicionar uma categoria que trará muita coisa boa para vocês leitores. Hoje vamos de Dica de estreia, que segue na trilha em primeira mão dos filmes que chegam aos cinemas. E como amante do Batman e grande fã da DC, acredito que seja bem proposital que comecemos com o filme da Liga da Justiça.

Ano passado tivemos duas resenhas sobre o filme Batman Vs Superman (aqui e aqui), com opiniões bem diferentes em relação ao filme que apresenta a trindade (pela importância e introdução da Mulher Maravilha),  depois de muita especulação e incertezas de como a DC trabalharia sua super equipe. Então FINALMENTE o tão aguardado filme (há décadas a Liga ganha e perde na realização desse sonho. Tudo ficou mais intenso depois da Marvel celebrar suas conquistas cinematográficas com sua grupo já formada).

Assim como na resenha de BvS, vou apontar o que achei de Pontos Fortes e Pontos Fracos. Sim teve ambos aspectos e digo isso com a responsabilidade de comentar de maneira imparcial o que foi lançado na telona, como isso funcionou e teve que MUDAR o que já tinha sido mostrado sobre o universo DC até o momento. Ao meu ver teve o Antes de LJ e terá o Depois de LJ (e não foi com MM).

Antes das análises propriamente dita, é preciso falar sobre a história do filme. Toda ação se resume em 2 horas (a intenção de um filme mais longo sumiu) e a narrativa se desenvolve rapidamente e muita, mas muita mesmo, coisa dos trailers foram retiradas. A introdução dos personagens ocorre de maneira pontual, cada um sendo apresentado sem grandes explicações (e não precisa), mas com boas intenções para os filmes individuais (podemos entender a referência ao programado Flashpoint com uma conversa do Flash e seu pai já que o passado com a morte da mãe atormenta o velocista). Tudo gira em torno das Caixas Maternas, da invasão do Lobo da Estepe – Steppenwolf – e como o Batman e Mulher Maravilha se esforçam para juntar a Liga. Steppenwolf luta contra as Amazonas e contra os Atlantes para conseguir as Caixas e os Heróis sentem na pele que não conseguirão derrotar o vilão sem ajuda. Batman então se convence de que precisam do Superman.

O ponto fraco me incomodou por ser contra ele: Batman, sendo meu herói favorito ever, foi o MAIOR modificado aqui e isso me deixou saudosista de como ele foi em BvS. Muitas reclamações que li e ouvi sobre a construção do vilão em CGI não é algo que me incomoda tanto assim. O Cyborg não está ruim em sua “pele de metal” colocada digitalmente e muito menos o “bigode” do Cavill, retirado digitalmente. O problema foi o que chamo de “marvetização”, pois é perceptível não somente no tom do filme mais bem humorado, como também na caracterização do Batman que surge de maneira mais cômica que o habitual. O mesmo não acontece com a Mulher Maravilha (que segue no tom do seu filme solo), Aquaman (que é uma força da natureza), Cyborg (que tem seus tormentos, mas sabe como agir) e o Flash (que é inocentemente engraçado). O filme não peca nesse rumo, mas poderiam resolver melhor isso no Homem Morcego.

Os pontos fortes são vários: O Super é a melhor coisa no filme. É absurdo o quanto ele é poderoso e como seu retorno o deixa muito bem resolvido. Se em BvS ele era depressivo, na Liga ele volta, a priori, meio sem noção, mas rapidamente sabe o que fazer, como fazer e quando fazer (a cena da volta dele e sua batalha ajudando a Liga são FENOMENAIS). A própria duração do filme e o encaixe do roteiro é outro ponto positivo, pois não há lenga lenga e tudo se sustenta, incentivando a criação dos filmes solos (para maior desenvolvimento dos heróis). A junção dos personagens é muito bem contextualizada e formatada, com a Mulher Maravilha tomando a frente em quase tudo, com o Aquaman sendo o cara poderoso e que decide fazer parte do grupo para destruir a ameaça, com o Cyborg aprendendo a desenvolver seus dons robóticos (o personagem sofre uploads) e amadurecendo mesmo com sua frustração humana e temos o Flash que é um jovem solitário que acredita que apenas corre rápido demais, mas que vai usufruindo de seu poder para salvar as pessoas. Uma coisa MUITO boa em relação ao Batman é o quanto ele entende e assume sua posição humana ao lado desses Super Heróis (ele se machuca, aparece cansado e não é a peça chave aqui, isso é deixado para os outros e para o Superman).

Liga da Justiça tem tudo para ser o melhor filme de heróis do ano, junto de Logan, mesmo eu dando 4 canecas. As cenas pós créditos, que são duas, são excelentes pois uma trás a relação entre dois heróis que me remete a uma cena que aconteceu na série Smallville e a outra um possível gancho para um segundo filme da Liga. ASSISTAM!!

Postado em: Dica de estréia
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Dica De Estreia – Liga Da Justiça”


 

Comentar