Semana De Cinema – Capitão América: Guerra Civil
por Ragner
em 23/05/16

Nota:

363874

 

“Gênio, Bilionário, Playboy, Filantropo” e um grandioso egocêntrico que não dá a mínima para mais ninguém a não ser ele mesmo. E é assim que começo essa resenha, pois Tony Stark é, além do Big Bang que se tornou o universo Marvel nos cinemas o que é hoje, o maior responsável por tudo de bom e mal que acontece com os Vingadores.

Em Guerra Civil o Capitão América é o protagonista, o filme é dele. Ele ganha ainda mais importância, destaque e responsabilidade, mas como todos sabemos desde o início disso tudo, há 8 anos, Tony Stark segue pelo caminho que lhe convêm e ainda influencia as tomadas de decisões dos demais personagens que integram o grupo dos “heróis mais poderosos da Terra”. O Homem De Ferro é um exemplo perfeito e didático de egoísmo humano, mas é só agora que ele consegue perceber o quanto comete erros e faz más escolhas, mesmo depois das consequências que enfrenta em Homem De Ferro 3 e da péssima decisão que quase destrói o mundo em Vingadores 2.

Sou Team Capitão América desde quando Guerra Civil saiu em quadrinhos, seja pelo idealismo ou pela rebeldia de Rogers, contrário à imposição governamental. Mas por que comecei meu texto falando sobre o Homem De Ferro? Porque assistindo ao filme, minha vontade foi de bater em Tony Stark, ainda mais quando ele está com raiva e não é capaz, nem assim, de perceber quando faz burrada. Mas é ai que está a magia do personagem e é por isso que Robert Downey Jr continuará interpretando o “ferroso” por mais um tempo e aparecerá no filme do “amigão da vizinhança”. Homem De Ferro é a causa disso tudo e mesmo sendo um belo filho de uma boa mãe, ainda é muito importante para que os Vingadores exista e o universo Marvel continue expandindo, já em sua terceira fase.

Depois dessa curta análise sobre Tony Stark, vamos para Steve Rogers e o quanto o “Sentinela da Liberdade” significa para a independência dos heróis. O Capitão América é mais do que um super-herói e sabe muito bem que representa um símbolo não somente para os Estados Unidos, mas para o mundo inteiro.

Rogers acredita veementemente que a liberdade é o que mais importa para qualquer pessoa e somente criminosos precisam ser impedidos de qualquer ação e assim responder pelos seus atos conforme a lei. Ele acredita que os Vingadores são responsáveis pelos erros cometidos, mas acredita mais ainda que o mundo está mais seguro com ele e seus companheiros agindo na defesa do mundo, do que os governantes ditando regras. As ações de Rogers englobam tudo o que ele julga melhor para seus amigos e pelo que entende como o grupo funciona. Tony Stark age de acordo com suas convicções, mesmo que para isso precise “proteger” os amigos contra a vontade deles.

Após os muitos desastres presenciados pelos Vingadores ou até mesmo cometidos por más intervenções deles, um acordo internacional é pautado durante uma reunião de urgência. A soberania de atos realizados pelos heróis é colocado em xeque. Lados são escolhidos. Capitão América não aceita a imposição governamental, mas o Homem De Ferro acredita que eles já foram longe demais sem qualquer tipo de supervisão. Aliados são recrutados. Uma pequena batalha campal acontece e mais decisões são tomadas. Cada um precisa responder pelos seus atos. E enquanto desentendimentos são colocados em xeque e entendimentos vão se alinhando, Steve Rogers se mantem firme em sua determinação salvando um antigo amigo, mesmo que para isso brigue com um grande aliado.

Guerra Civil não segue a linha da história consagrada nos quadrinhos e grandes alterações são realizadas. Uma delas e a mais perceptível é em relação ao número de heróis, outra diferença é evidente quanto aos heróis se mostrarem ou não para o mundo. Mas mesmo com muitas diferenças é inegável o quanto o filme funciona e agrada ao grande público.

O universo Marvel já parece estar em seu auge. Já conhecemos os heróis (faltam uma história ou outra), suas realidades, dimensão de poder e crenças, sem nos esquecermos de que o mundo vai muito além do que julgávamos quando Thor apareceu na Terra. Já sabemos o que está por vir e quem ainda falta chegar e daqui pra frente não creio que haja muita surpresa. Talvez a única é o quanto tudo isso ainda pode ficar melhor.

PS.: Não podemos nos esquecer do quanto a aparição do Homem Aranha (garoto ainda) é fantástico para tudo que está acontecendo, é uma conquista para os fãs e para dar uma dinâmica ainda maior para todo o universo Marvel (vai que os heróis de Nova Yorque acabam sendo citados mais para frente, Demolidor, Jessica Jones, Justiceiro). Estamos de olho e acompanhando tudo com muita vontade.

Postado em: Semana de Cinema
Tags: ,

Nenhum comentário em “Semana De Cinema – Capitão América: Guerra Civil”


 

Comentar