Semana de Cinema – Contra o Tempo
por Ragner
em 27/03/13

Nota:

images

 

A chance de consertar algo que você tem total desconhecimento. Estar em um local que condiz com tempo e espaço completamente dissociados de sua vida. Você nem é quem você pensa ser e as pessoas à sua volta começam a pensar que você é um louco. Consegue se imaginar em uma situação como essa? Alguns filmes já trabalharam a questão de voltar no tempo para modificar certos conceitos que julgavam equivocados, mas dessa vez conseguiram ir um pouco além.

Filmes que trabalham dimensões, viagens temporais, discutem questões físicas que abordam possibilidades quase impossíveis, me interessam muito e esse filme aborda ainda conceitos que eu não havia vislumbrado. Aqui o protagonista incorpora outra pessoa que morreu. Os 8 minutos anteriores à morte são vividos exaustivamente para tentar encontrar a causa e o responsável por um ato terrorista.

Um programa do governo com o intuito contra-terrorista e que possibilita recuperar os 8 minutos finais da vida de qualquer pessoa conduz o desenvolvimento da história, mas como o homem é um animal cheio de vontades e interesses, o que parecia ser um motivo plausível para a utilização de tal técnica, vira somente um veículo para o capitão Colter Stevens tentar mudar todo um resultado que já parecia definido.

O capitão demora a entender o que está acontecendo. Ele é jogado em uma realidade sem qualquer explicação e todas as vezes em que os 8 minutos são “reiniciados”, ele vai lembrando de tudo, mas ninguém está interessado no que ele pensa, só no que ele faz. A missão é a única coisa que interessa e respostas à seus questionamentos são negligenciados.

Com o tempo o capitão vai encontrando respostas sobre o atentado e desvendando o que precisa para impossibilitá-lo, mas mudar o que já aconteceu pode interferir como em sua vida? A pessoa que ele toma o corpo volta a viver? Como ele continua a partir dai? O programa a priori quer encontrar o responsável e não necessariamente impedir que o fato ocorra, pois os mortos JÁ ESTÃO mortos.

Isso só começa a ser entendido por Stevens quando ele resolve o caso e ainda consegue salvar a garota que passa a ser importante para ele, mas o que vem a seguir? O mundo continua e ele muda o futuro?

O filme deixa algumas questões no ar, mas vai trabalhando o melhor que pode de acordo com o que julgamos ser possível, pois eu desconheço alguém que já mudou o passado e não tenho ciência de que podemos desconfigurar um futuro óbvio com um presente já determinado. Mas as surpresas só terminam mesmo quando o filme acaba e ai vamos compreendendo o que de fato pode ter acontecido com a outra realidade que passa a ser desenhada. Eu acredito que tenha compreendido. Tenho minha opinião sobre.

Eis um exemplar muito interessante para quem gosta do estilo e o filme parece mesclar alguns conceitos já consagrados. Se são trabalhados de forma correta ou acessível, ai depende de que assiste. No meu caso eu agradei muito e creio que vale a pena.

Postado em: Semana de Cinema
Tags:

Nenhum comentário em “Semana de Cinema – Contra o Tempo”


 

Comentar