Semana De Cinema – Zootopia
por Ragner
em 21/06/16

Nota:

Zootopia-Poster

 

Eis uma das animações que acredito veementemente poder figurar entre minhas favoritas. Fácil. Zootopia possui uma dialética diferente, um acréscimo que considero importantíssimo para futuras produções. Tanto pela maneira de trabalhar a narrativa quanto o desenvolvimento de personagens que ilustram lutas de grupos sociais. Acredito que as novas animações incluirão em seu roteiro assuntos que possam dialogar com uma representatividade humana indo além das fábulas que possuem qualquer ideia moral e transcendendo questionamentos culturais enquanto ilustram o debate que exemplifica diferenças de classe, clero, gênero e raça.

Temos aqui uma representação feminista –  com a protagonista Coelha Judy Hopps  – e alguns contextos que identificam bem algumas realidades sócio-culturais com as quais convivemos diariamente. Dentre elas podemos identificar a luta diária de pessoas que “batalham” para sobreviver – a Raposa Nick Wilde – (aqui no Brasil existe o “jeitinho brasileiro” e seus adeptos) e a ideia de que policiais são truculentos, só recebem ordens e não costumam questioná-las – com o Búfalo Chefe Bogo. O filme envereda pelo mito do trabalho público cheio de burocracia, com seus atrasos e morosidade – com a Preguiça Flecha – e também por uma atmosfera mafiosa bastante poderosa – com o Rato “Poderoso Chefão” Sr Big -. A animação abusa de esteriótipos e faz isso de maneira fantasticamente bela e divertida.

Zootopia é uma cidade que podemos chamar de lugar perfeito. Um tipo de lugar para o convívio de todos os tipos de animais, independente de sua natureza predatória ou não. A cidade representa a utopia de uma sociedade sem problemas econômicos ou sociais, onde um animal carnívoro como um leão, pode viver em paz ao lado de uma ovelha (Prefeito Leãonardo – um Leão – e a Vice Ovina – uma Ovelha). Há anos o instinto predador não existe mais e Zootopia se tornou uma metrópole evoluída e hospitaleira para qualquer animal viver prosperamente. Mas o sumiço de algumas espécies tem deixado algumas “famílias” intrigadas para descobrir o paradeiro de entes queridos.

Nossa queridíssima Judy Hopps é uma coelhinha cheia de energia e super disposta a acabar com qualquer preconceito em relação ao seu tamanho e condição de “presa”. Desde pequena lutou contra situações de opressão e questionou o quanto era capaz de realizar seus sonhos. Já adulta, conseguiu entrar para a academia policial e depois ser destinada para Zootopia (ela era do interior, vivendo de acordo com os costumes de um lugar pequeno, pacato e sem grandes emoções). Em seu primeiro dia como policial, foi designada para trabalhar como agente de trânsito (uma clara interpretação preconceituosa de seu chefe, que a via como “indefesa” e “inocente” demais para efetuar prisões ou representar a “lei e a ordem” como os demais animais maiores e “machos”) e acaba conhecendo o “vigarista” Nick Wilde – sujeito boa praça, bom de papo e de ginga. Uma raposa cheia de experiência, que faz de tudo para conseguir viver na cidade grande.

O marido de uma habitante de Zootopia desaparece sem deixar vestígio e Judy consegue uma chance de provar que pode ser a detetive que sempre quis ser. Mas ela não está sozinha. Percebendo que não teria apoio dos outros policiais, Judy encontra uma maneira de convencer Nick a ajudá-la. A dupla mais improvável passa a ser a única esperança para descobrir como predadores estão sumindo e desvendar que nem tudo é o que parece quando todos acreditam que as presas estão em perigo.

Nem é preciso ressaltar que essa utopia é apenas ilusória ou lindamente maquiada. A animação encarna majestosamente um retrato fiel, e até mesmo com certas sutilezas, de como nossa sociedade opera. Zootopia funciona como uma propaganda animada e cheia de cores que reconhece nossos valores e diferenças de uma maneira contagiante. E ainda trabalha nossos preconceitos de uma forma didática e também singela. Tudo funciona perfeitamente bem. Não só indico como ainda digo: não perca mais tempo e assista o quanto antes.

 

Postado em: Semana de Cinema
Tags: ,

Nenhum comentário em “Semana De Cinema – Zootopia”


 

Comentar