Resenha – A droga da obediência (Reupload)
por Thiago
em 24/12/14

Nota:

download (15)

Antes de tudo vamos falar sobre ontem, primeiro de abril, dia da mentira, ou melhor, dia de relembrar uma mentira que foi contada ao povo brasileiro e usada como “justificativa” para o golpe militar.

Essa semana aqui no Poderoso trabalhamos com a função didática da memória, para lembrarmos o que nos aconteceu 50 anos atrás. A história é uma ótima professora e a lição da semana não é simplesmente “Ditadura nunca mais” e sim darmos a devida importância a educação política.

Sabe, acredito muito na frase de Voltaire  “Posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo” (mesmo hoje pesquisas nos levam a crer que esta frase não é do Voltaire), ela me leva a importância da educação cidadã para se viver verdadeiramente em uma democracia. Baseado nessas ideias escolhi o livro que quero falar hoje.

Sempre me interessei muito pelo tema Ditadura militar brasileira e sistemas totalitários de um modo geral e só entendi o motivo escolhendo o livro para este post. Pensando sobre livros que tenho e já li sobre o tema (e ocupam boa parte da minha estante) me lembrei daquele que me levou para o mundo da leitura e que de certa forma me moldou. Estou falando de A droga da obediência do grande Pedro Bandeira, um ou o livro infanto-juvenil mais lido do Brasil. Assim acredito que você já deve ter lido essa história, se não, por favor leia, independente da sua idade.

Ai você que leu mas não entendeu o que o Sr. Bandeira queria dizer, pode estar pensando assim agora: “- Mas Thiago esse livro é sobre uma aventura de uns meninos metidos a detetive, tipo um Scooby Doo sem cachorro né? Isso num tem nada com ditadura.”. Então eu te respondo de forma curta e grossa: – NÃO!!

O livro é uma metáfora super didática sobre a ditadura. Pedro Bandeira foi simplesmente genial, aqui gostaria de agradecer ao autor por ter escrito algo que foi tão marcante na minha formação pessoal. Através dele me tornei uma criança questionadora e por fim professor de filosofia, obrigado Sr. Pedro Bandeira.

O livro foi escrito em 1984, ano em que nasci, e mesmo ano do movimento Diretas Já. Pedro Bandeira, ator, jornalista, cientista social, professor e escritor já tinha publicado em 1983 o livro infantil “O dinossauro que fazia au-au”, que fez muito sucesso. No ano seguinte surge sua obra prima pela editora moderna. Nele o autor nos conta a primeira história de “Os Karas”, um grupo de garotos que se une para resolver “mistérios”, depois essa turma renderia outras histórias e livros como  “A droga do amor”, “Anjo da morte”, “Pântano de sangue” e “Droga de América”.

Os Karas eram formados pelos alunos Miguel (o líder, orador da turma), Calu (o artista), Crânio (o gênio), Magrí (a atleta – e única menina), e Chumbinho (o que descobriu os Karas, ingressou na turma e provou seu valor).

Esse grupo de  estudantes do colégio elite da cidade de São Paulo consegue desvendar um plano terrível que envolve o sequestro de mais de 20 alunos de escolas diversas e a aplicação de uma droga que faz esses jovens obedecerem sem qualquer questionamento. Ou seja, os transforma em zumbis sem vontade própria.

Escrito como uma metáfora, uma crítica à Ditadura Militar, o livro nos mostra a importância do que Kant nos diz em seu texto “Resposta a pergunta: O que é esclarecimento? Aufklärung“, onde nos mostra a importância de sermos seres autônomos. Kant nos fala que através do esclarecimento (ideia iluminista) o ser humano poderia alcançar a maioridade, saindo da menoridade, da qual é o próprio culpado.

Assim, ao alcançar a  maioridade seriamos capazes, segundo Kant, de termos pensamento próprio, de realizar escolhas e ações que são única e exclusivamente da nossa vontade e não submetidas a uma vontade externa a nossa.

Uma sociedade totalitária só é possível se a maioria que a forma se encontrar na menoridade kantiana.

Sendo assim, a “Droga da Obediência” pode ser uma metáfora quase que real se pensarmos nos métodos de manipulação de massa e na sociedade de consumo de pouca reflexão em que vivemos.

Resumindo, este é, claro que na minha opinião, um livro indispensável para todo brasileiro. Se pudesse daria mais de 5 cafés, daria uma saca inteira de grãos de café nacionais tipo exportação.

No mais, boa leitura a todos!!

pb

Postado em: Resenhas
Tags: , , ,

4 Comentários em “Resenha – A droga da obediência (Reupload)”


Avatar
Júlia em 07.05.2014 às 16:14 Responder

Ótima resenha Thiago! Eu já li ‘A droga do amor’ também, ambos são excelentes.
Vocês já leram 1984 ou algum livro de George Orwell?? Eu recomendo muito. Outro excelente livro é ‘O Alquimista’, mas eu não entendo porque muitas pessoas não gostam de Paulo Coelho, vocês já leram algum livro dele?
E gostaria de saber se vocês têm alguma sugestão de livros parecidos… 😛
Adorei o site!!!

Avatar
Thiago em 13.05.2014 às 22:56 Responder

Oi Júlia, desculpe pela demora pra te responder. Ia te sugerir “a droga do amor”, mas você já leu. Temos outros bem legais do mesmo autor, no caso: Anjo da morte, Pantano de sangue, Droga de América. Quanto ao Paulo Coelho já li sim e não curti muito pelo estilo da escrita mesmo, mas as histórias são bem legais. Não concordo com o tanto que metem o pau no cara, acho que é um pouco de dor de cotovelo. Paulo Coelho consegue fazer algo incrível, popularizar a literatura brasileira no mundo, o cara é tipo um embaixador nosso no mundo literário e isso ninguém pode negar.
Segue o link da resenha de “O Alquimista” feita aqui no site: http://www.opoderosoresumao.com/livros/resenha-o-alquimista

Avatar
Júlia em 11.07.2014 às 00:01 Responder

Oi Thiago, obrigada pelas sugestões, vou anotá-las.
Realmente, Paulo Coelho é muito famoso no exterior e subestimado aqui no Brasil, é uma pena.
Sua resenha de O Alquimista é ótima também, um livro muito inspirador, cheio de otimismo.
E livros de ficção científica, você recomenda algum?
Eu li e recomendo muito: 1984, Fahrenheit 451 e Admirável Novo Mundo.

Abraço!

Avatar
Thiago em 17.07.2014 às 00:26 Responder

Ei Júlia, confesso que Paulo Coelho não é um dos meus autores preferidos, simplesmente pela leitura de seus livros não ter me prendido. A resenha do Alquimista aqui no site não foi minha, provavelmente é da Patrícia ou o Ragner, nessa época ainda não escrevia no site.
Quanto aos livros de ficção científica te recomendo a coleção “O guia do mochileiro das galáxias” do Douglas Adams, “Eu Robô” do Isaac Asimov, resenhado aqui pela Patrícia http://www.opoderosoresumao.com/livros/resenha-eu-robo
E qualquer coisa do Arthur Clarke.

Abraço!!


 

Comentar