Resenha – A garota no trem
por Patricia
em 13/09/16

Nota:

2015-836957945-a-garota-no-trem.jpg_20150729

 

Em Outubro estréia no Brasil a adaptação para o cinema de A garota no trem – 3º livro da autora Paula Hawkins que virou um best-seller ano passado quando foi lançado. O filme conta com um elenco recheado de estrelas e é dirigido por Tate Taylor que dirigiu o filme Histórias Cruzadas e 1º episódio da série do Netflix Grace and Frankie. No geral, desconhecido.

O livro nos apresenta a Rachel – uma, por falta de uma palavra melhor, fracassada. Ela é alcoólatra, desempregada e mora no quarto de uma amiga que caridosamente a recebeu em sua casa depois de que Rachel terminou seu relacionamento com o ex-marido, Tom, e se viu desabrigada. Rachel finge que vai trabalhar todo dia porque não tem coragem de contar à amiga que foi despedida por ter aparecido bêbada no trabalhado e feito uma cena por motivos bestas.

Então ela pega o trem todo dia e vai para a cidade fazer coisa nenhuma. Às vezes ela bebe mais, às vezes ela vai até a biblioteca (mas nunca lê um livro). Outra coisa que ela gosta de fazer enquanto está no trem é acompanhar a vida de um casal que vive em uma das casas no caminho. De maneira totalmente maluca com um gostinho de stalker, ela cria vidas para as pessoas e fica tiste ou chateada quando não consegue vê-los. Para ela, eles têm a vida perfeita e ela pode passar um tempo considerável refletindo sobre a vida alheia. Fundo do poço é pouco.

Mas o casal que ela vê todo dia, não tem uma vida perfeita. Um dos pontos de vista da história é Megan, a mocinha que Rachel imagina ser perfeita, está longe disso. Megan e Scott têm um relacionamento difícil, na verdade. À medida que a história progride nós aprendemos mais sobre Megan (o livro é todo narrado pelas mulheres da história) e como ela está entediada com a vida que vive, com o relacionamento com Scott e as perspectivas. Megan esconde um segredo que a está corroendo dia a dia ainda que ela não perceba.

O terceiro ponto de vista é o de Anna – a mulher com quem o ex-marido de Rachel a traiu e por quem ele a deixou. Anna e Tom moram na casa em que Rachel morava – perto de Scott e Megan (porém, eles ainda não haviam mudado para lá quando Rachel morava ali com Tom).

Anna e Rachel dividem uma conexão direta, por Rachel não conseguir deixar Tom em paz e continuar ligando e o procurando. Tom, de certa forma, parece alimentar essa obsessão e mais tarde vamos perceber que a coisa toda é muito mais confusa. A notícia do desaparecimento de Megan é que vai interligar a vida dessas 3 mulheres de maneira muito mais profunda.

Começo falando do filme porque ler A garota no trem é basicamente ler um roteiro de cinema. As cenas se repetem para frisar um padrão à base da exaustão; os personagens masculinos são bem estereotipados e mesmo o desenvolvimento do enredo não é uma surpresa completa. O que pode salvar a leitura é a escrita de Hawkins que é boa e explica o sucesso da história. A história não é original, então não espere nenhuma reviravolta eletrizante – mesmo para mim, que até hoje levo pelés de Agatha Christie e nunca descobri um assassino dessa mulher, não foi difícil me antecipar ao enredo.

Para histórias de suspense com mulheres protagonistas, ou narradoras, acredito que Garota Exemplar seja melhor (se vocês nos seguem há algum tempo, sabem que gostei do livro). E pela idéia de ter várias narradoras em uma história de violência, vale conhecer a Liane Moriarty – australiana que escreve romances com mulheres contemporâneas que sofrem de ansiedade, depressão, violência doméstica e afins – aqui no Poderoso já falamos de Pequenas Grandes Mentiras e O segredo do meu marido.  

Bom, mas nenhuma maravilha.

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

1 Comentário em “Resenha – A garota no trem”


Avatar
Amanda em 02.12.2018 às 12:34 Responder

Essa história e muito boa, eletrizante,quando lhe essa história fiquei tão envolvida tem uma grande reviravolta melhor história.nunca imaginei que “essa” pessoa que matou Megan fiquei perplexa quando descobri no começo do trama da história não e muito envolvente digamos assim mais depois você não consegue mais parar de ler até terminar o livro.muito bom😃😃😃😃😃😊😊😊😊😮😮😮😮😸😸😸amo esse livro 😍😍😍😍😍


 

Comentar