Resenha – Buracos Negros
por Ragner
em 14/03/17

Nota:

 

Um dos físicos mais respeitados (e idolatrados) tanto no meio acadêmico quanto no entretenimento é uma autoridade quando se fala sobre Buracos Negros. Stephen Hawking já passou pelo Poderoso e retorna com duas palestra lançada como livro pela Intrínseca. Buracos Negros trás a tona diversos aspectos e esclarecimentos sobre como é a existência e formação dessas forças físicas pelo universo a fora.

Hawking é um especialista no assunto, seu estudo sobre buracos negros é referência para todo e qualquer cientista que se preze. Seus outros livros transbordam informações que tentam esclarecer o funcionamento desses sugadores vorazes. Este pequeno livro é composto por palestras dadas para a BBC, na Inglaterra, e, de maneira bem didática, debate um assunto que pode desvendar segredos de espaço e tempo e as muitas dimensões que compõe o cosmos.

Na primeira palestra, intitulada Buracos Negros não têm cabelo? Hawking discute sobre “horizontes de eventos” – que pode ser chamada de beirada do ralo do buraco negro -, “singularidade” – quando uma estrela se contrai em um ponto pequeno e de densidade infinita -, sobre a “Teoria da Relatividade Geral” de Einstein que defende que objetos distorcem o espaço-tempo ao seu redor, o conceito de “Entropia” que é a tendência em que tudo que é dotado de ordem fica mais desordenado com o passar do tempo e o “princípio da incerteza”, discutindo como tal princípio possibilita a formação de buracos negros.

Na segunda palestra Buracos negros não são tão negros quanto se diz, é explicado que a expressão “Buraco negro não têm cabelo”, significa que o buraco negro esconde diversas informações, que não há como dizer o que existe dentro deles. Nada podia sair do buraco, pelo menos era o que se pensava. A palestra discute “mecânica quântica” – que é a ciência que trabalha com tudo que é extremamente pequeno e suas partículas minúsculas -, “dimensões extras” – além das três dimensões conhecidas e a quarta que é o tempo (é citado o filme Interestelar e o Grande Colisor de Hádrons – LHC – que fica na Suiça, no CERN), e a explicação de como algo pode entrar e escapar de um buraco negro, dando a entender a possibilidade de outros universos.

Se um buraco negro estiver em rotação, talvez seu centro não consista de uma singularidade, um ponto infinitamente denso. Pode ser que a singularidade esteja em forma de um anel. O que nos leva a especular sobre a possibilidade de não só cair em um buraco negro, como também viajar por um. Isso significaria ir embora do universo tal como o conhecemos…talvez haja algo do outro lado.

Buracos Negros é um livreto que considero uma excelente leitura para iniciantes ou mesmo iniciados no mundo cosmológico ou astronômico. Não é um tratado ou estudo aprofundado sobre o assunto, mas se digna muito bem a clarear algumas informações sobre esses “monstros” engolidores de luz, energia e tudo a sua volta. Stephen Hawking é deveras didático e o que ele escreve merece ser lido por entusiastas e, creio, que até o grande público poderia se interessar pelo que ele publica.

***

O livro foi enviado pela editora. 

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha – Buracos Negros”


 

Comentar