Revisitando – Lugar Nenhum
por Bruno Lisboa
em 30/08/16

Nota:

Livro-Lugar-Nenhum-Neil-Gaiman-8503409

Para quem acompanha meu trabalho por aqui no Poderoso sabe muito bem que a minha “zona de conforto” são as biografias e livros técnicos. Mas durante a última seleção de livros da Intrínseca me deparei numa encruzilhada (no bom sentido) entre “Liderança”, livro sobre o ex-técnico do Manchester United (Alex Ferguson) ou finalmente ceder ao apelo popular (leia-se Ragner, parceiro aqui do Poderoso) que recomendou e instigou o meu olhar mais apurado para com a obra de Neil Gaiman.

Inicialmente posso dizer que não sou iniciante por completo quando o assunto é a obra do escritor britânico, pois já havia lido a compilação de contos “O livro dos sonhos” que tem como inspiração o personagem Sandman, famoso personagem criado por Gaiman. De fato,  há tempos gostaria de ter tido acesso a outras obras, mas sempre postergava para uma próxima aquisição. Então finalmente este momento chegou e começou muitíssimo bem via Lugar Nenhum (já resenhado aqui), uma de suas obras mais celebradas.

Lançado em 1996, Lugar Nenhum (o livro) é uma romantização do roteiro escrito pelo autor que ganhou adaptação para a rede de TV inglesa BBC e conforme ele mesmo explica no texto de introdução desta nova reedição, não gostou do resultado alcançado. De lá para cá ganhou inúmeras adaptações (rádio, teatro, quadrinhos) e novo tratamento até chegar a esta versão que é caracterizada como a sua preferida.

Tido como um dos mestres do gênero fantasia, em Lugar Nenhum a narrativa transita entre a ficção e realidade, pois por mais que a história envolva seres fantasiosos a ambientação se dá numa localização real que é na cidade de Londres.

No enrendo temos Richard Mayhew, cidadão comum que vive de forma pacata ao lado de sua noiva. Sua rotina é transformada a partir do momento em que ajuda Door, uma garota maltrapilha que estava ferida na rua e clamava por ajuda. Misteriosamente, no dia seguinte a garota decide por seguir sua jornada e o protagonista percebe que sua vida virara do avesso, pois ele deixa de existir, tornando-se invisível para as pessoas comuns. Após o descobrimento da existência de uma Londres subterrânea (obscura e dominada por seres fantásticos), Richard parte para o submundo atrás não só da causadora da confusão como também busca por respostas e solução ao seu problema.

De maneira criteriosa e genial, Gaiman descreve de maneira pontual seus personagens e o ambiente em que a narrativa se desenvolve, mas sem se render a adjetivações ou descrições detalhadas por demais fazendo com que a leitura flua com naturalidade e leveza. Esta característica prevalece por toda obra e alimenta o imaginário do leitor que visualiza mentalmente todos os trejeitos dos personagens como também a locação (inclusive nesta edição consta um mapa do metrô de Londres que ajuda ainda mais a visualizar o cenário)

Por mais que o texto esbarre na previsibilidade em alguns momentos, características de escritores de primeira viagem (Lugar nenhum é um dos seus primeiros romances), isso não impede o deleite deste criativo, envolvente e exuberante conto de fadas moderno.

P.S.: Para além do reedição textual, as novidade aqui são uma introdução do autor, um prólogo original e um conto inédito.

****

Livro foi enviado pela editora.

SELO_BLOGSPARCEIROS_2016

 

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Revisitando – Lugar Nenhum”


 

Comentar