Resenha – O Conto da Ilha Desconhecida
por Gabriel
em 24/05/14

Nota:

O Conto da Ilha Desconhecida

Qual não foi minha surpresa ao constatar que não temos prévia ocorrência de José Saramago no Poderoso. Resolvi, portanto, corrigir a falha com um livro que foge ao formato habitual de trabalho do escritor.

O Conto da Ilha Desconhecida é um texto curto, um conto, publicado no Brasil pela Companhia das Letras. A edição traz o padrão usado pela editora para textos de Saramago, com uma capa simples e relacionada ao tema. Vemos uma aquarela que lembra um barco a vela, um dos personagens da história. Sua leitura é rápida, tanto pelo formato de poucas páginas quanto pela agilidade da escrita do autor. Aquarelas de Arthur Luiz Piza são intercaladas às páginas de texto, em papel de qualidade superior à que comumente se encontra em literatura.

A história do Conto da Ilha Desconhecida é uma grande metáfora. Um homem surge, um dia, às portas do palácio do rei. Não se diz que rei, não se diz de que reino; há somente uma explicação sobre a dinâmica das portas do palácio. Existe a porta dos obséquios, onde o rei recebe agrados da população (e onde naturalmente passa todo o seu tempo). E existe a porta das petições, onde o rei nunca está e onde responde a pedidos do povo. A porta dos obséquios é respondida diretamente pelo monarca, enquanto a porta das petições tem um processo burocrático que passa por diversos secretários até chegar à mulher da limpeza, única pessoa a realmente falar com quem está fazendo um pedido.

Neste dia, porém, o homem exige falar com o rei. E, apesar de receber uma negativa, decide que não sairá da porta até que consiga o que quer. Sua exigência é por fim revelada: ele deseja um barco para partir em busca de uma ilha desconhecida. Tanto o rei como o povo e os marinheiros tratam com ironia a sua solicitação, dizendo que não há mais ilhas desconhecidas. Mas o homem insiste e recebe o que quer.

Acompanhamos deste ponto em diante a jornada do homem, que encontra a ilha desconhecida onde menos esperava. O autor constrói uma fábula sobre a busca por algo que não existe, com pedidos de ajuda a outras pessoas, quando o que precisamos está ao nosso lado e ao alcance das mãos. De forma rápida e clara, demonstra este conceito enquanto entretém o leitor.

O Conto da Ilha Desconhecida é escrito no bom e velho estilo de José Saramago, com sentenças rápidas, diálogos que se intercalam a descrições de cenas e quase nenhum ponto final (o autor tem uma predileção especial pelo uso de vírgulas). É uma leitura rápida, de qualidade inquestionável, que faz pensar e editada em formato prático e bonito.

Saramago é conhecido por suas obras maiores, seus romances de ficção. Mas, nesta obra, surpreende pela despretensão e pelo óbvio caráter de fábula da história, acentuado pelo uso de referências a uma época medieval ou das grandes navegações, ambos períodos com farto referencial fantasioso ou imaginativo na cultura pop. Com certeza uma leitura recomendada.

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha – O Conto da Ilha Desconhecida”


 

Comentar