Resenha – Outsider
por Ragner
em 19/09/18

Nota:

Hoje temos mais uma participação do mestre King, com seu último livro lançado e que já foi noticiado que será adaptado como uma série. Todos sabemos que Stephen é um dos maiores escritores de suspense e mistério que existem e também já deixou muito claro que pode versar sobre histórias policiais. Nessa obra temos um pouco dos dois. É defendido que existe um universo expandido conectando vários livros do mestre, algo que ainda preciso conferir lendo-o mais, mas posso garantir que suas últimas criações possuem ligações e isso é maravilhoso de se ler. Não esquecendo que há referências à outras obras clássicas, como no caso de Drácula e nos contos de Edgar Allan Poe.

Outsider já começa com a prisão de um assassino que abusou e mutilou uma criança da pequena e pacata Flint City. Para a história ficar mais tensa, cheia de consequências e nos deixar muito apegado às páginas, o principal suspeito, preso na presença de várias pessoas, é o técnico do time infantil de beisebol da cidade – Terry Maitland -. O detetive responsável – Ralph Anderson -, tem a certeza plena de que Maitland é culpado. Junto ao fato de que o técnico já foi treinador de seu filho, os depoimentos induzem Anderson a prender o treinador. Mas dados novos aparecem e tudo indica que o detetive pode ter agido antecipadamente de forma irresponsável.

Novas evidencias indicam que Maitland estava em outro lugar durante o assassinato, mas isso seria impossível e a cidade, que antes o adorava, já deseja sua morte. Anderson começa a questionar suas próprias ações e não descarta que pode ter atropelado condições preliminares da investigação. Julgado pela esposa e o advogado do acusado de ser o causador da destruição pública de Maitland, Anderson admite que precisa desvendar a verdade, que permanece deveras nebulosa.

O detetive então se junta àqueles que antes o viam como inimigo, para descobrir quem está por trás da morte que abalou Flint City. E aqui entra uma personagem chave que nos conecta à trilogia Mr Mercedes. Em Outsider temos um vilão que mexe com nosso imaginário sobre, como posso dizer, lendas urbanas e crendices que ressuscitam nossos temores de criança. E tudo isso deixa o livro com reviravoltas, terror e uma atmosfera muito pesada, que faz com que o leitor leia até à conclusão o mais rápido possível.

Algo marcante nos livros de King é que o sobrenatural é tratado com relevância, como se fosse algo possivelmente real. Ao ler cada história, não me parece tão absurdo certas tramas e consigo considerar toda tragédia fantástica como algo que confabula com o que nos é natural (vocês também tem essa sensação?). E isso me deixa cada vez mais envolvido com o que é narrado e apaixonado por seu…universo.

***

O livro foi enviado pela editora

 

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha – Outsider”


 

Comentar