Netflix com o Poderoso – Cobra Kai
por Ragner
em 08/02/21

Nota:

E foi com enorme prazer que assisti a essa 3ª temporada. Cobra Kai, que já vinha com uma e temporadas excelentes, conseguiu ainda servir uma 3ª temporada maravilhosa (já no gás aqui para receber de braços abertos a 4ª). Melhor em diversos aspectos e o principal é o aparecimento de mais personagens do universo Karatê Kid.

Já sabíamos que a Ali – Elisabeth Shue – apareceria e rolava muitas especulações sobre outros personagens. A ex namorada de Johnny e Daniel teve uma participação pontual, que ajudou a resolver questões alimentadas, distorcidas e empurradas com a barriga entre eles. Essa temporada fez o favor de parar com tanto disse me disse. Outras participações especiais focaram na história de Karatê Kid 2, com excelentes surpresas e ainda teve aquele ensinamento extra do karatê de Okinawa.

Em paralelo ao núcleo de Daniel, temos Johnny em sua evolução contínua e, sinceramente, não tem como não gostar do cara. O outrora bad boy Cobra Kai tenta se redimir com o filho Robby (que está bem apagado nessa temporada), ajuda na recuperação de Miguel e no contínuo exemplo de se tornar uma pessoa melhor. Tanto Johnny quanto Daniel entendem suas fragilidades e potencialidades (cada qual a sua maneira) e seus arcos trabalham especificamente para resolve-las.

Para mim a série acerta muito nisso e somente comete alguns equívocos quanto tenta esclarecer alguns pontos referentes ao vilão John Kreese e, pelo que parece, humaniza-lo. Kreese era, e ainda é, o maior vilão desse universo, tanto no filme 1 quanto no 3 nunca demonstrou ter o mínimo de empatia ou remorso em atitudes que machucavam alguém. Logo criar um ambiente que justifique que ele já tenha sido bom, não me parece ser um ganho para série.

Porém, contudo, todavia, mesmo com isso Cobra Kai 3 consegue ser a melhor temporada. Com as histórias mais ligeiras, os personagens se resolvendo mais rapidamente, Johnny e Daniel sem muita lenga lenga entre eles e o núcleo adolescente com seus conflitos mais evidentes e explosivos.

Não enrolei para assistir os 10 episódios e consegui maratonar bem motivado e agora é ficar no aguardo para a 4ª temporada, onde espero que os conflitos entre a garotada também se resolva, tenhamos melhores coreografias nas lutas (já houve uma evolução estrondosa nessa 3ª). O ensinamento aprendido por Johnny e Daniel passe adiante, pois Miguel, Robby, Sam e Tory não precisam ser oponentes para sempre.

Se liga e assista, pois se tem uma parada que Cobra Kai consegue de fato é se tornar uma referência do que deve ser um obra sobre remake e nostalgia.

Postado em: Netflix
Tags:

Nenhum comentário em “Netflix com o Poderoso – Cobra Kai”


 

Comentar