Resenha – A silenciosa inclinação das águas
por Juliana Costa Cunha
em 03/02/20

Nota: Segundo volume (que é dividido em dois livros) da trilogia proposta por Alex Sens, A silenciosa inclinação das águas, traz uma narrativa mais situada geograficamente. Aqui, as personagens estão vivendo suas dores e delícias entre o Brasil e a Noruega. Magnólia… que saudade que eu estava dessa personagem irritante. Na primeira parte do livro,
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – Delírio do poder
por Bruno Lisboa
em 29/01/20

Nota: Filósofa. Professora. Escritora. Estas são apenas algumas das funções que são desempenhadas por Márcia Tiburi, uma das vozes mais relevantes do solo brasileiro. Em sua fala, geralmente, ela faz análises pontuais sobre o Brasil contemporâneo, em especial sobre o perigoso momento em que vivemos onde se vê o ressurgimento do ideário da extrema direita
Postado em: Resenhas
Tags: , , , ,

Resenha – O melhor que podíamos fazer
por Juliana Costa Cunha
em 27/01/20

Nota: Thi Bui, autora desta HQ de memórias gráficas incrível, é vietnamita tendo imigrado junto com sua família no final dos anos 70 para os EUA, ainda criança. Quando lançou estas memórias era professora de escola pública na Califórnia onde mora com seu marido, seu filho e sua mãe. Em O melhor que podíamos fazer
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – As sombras de outubro
por Ragner
em 22/01/20

Nota: Histórias policiais me interessam bastante. Quem acompanha o Poderoso e já conhece um pouco desse nosso querido site de resenhas, deve saber que a literatura policial possui lugar de respeito entre nós. Autores nórdicos, que enveredam por essa seara, já passaram por aqui também e hoje trago para vocês As sombras de outubro, do
Postado em: Resenhas
Tags: , , ,

Resenha – A grande morte do Conselheiro Esterházy
por Juliana Costa Cunha
em 20/01/20

Nota: O Conselheiro Esterházy passa 272 dias para morrer. Durante estes 272 dias de sua morte, seu mordomo, que passou sua vida inteira ao lado do Conselheiros Esterházy nos conta sua história de solidão e servidão. Ainda criança, o mordomo, narrador desta história, foi conduzido por outro mordomo, já bem velho, até o quarto do
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Revisitando – Outliers: Fora de Série
por Patricia
em 15/01/20

Nota: Outliers – Fora de série de Malcolm Gladwell já foi resenhado por aqui em 2012 e ouço apenas coisas boa sobre o livro então finalmente decidi ler essa obra. Meritocracia é uma daquelas palavras que não desaparece do cotidiano do brasileiro, principalmente. Ela aparece desde de discursos políticos, até a defesa ou ataque a cotas e
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – O ano do macaco
por Poderoso
em 13/01/20

Nota: 2016 foi O ano do macaco na tradição chinesa. E este foi título escolhido por Patti Smith para seu novo livro, lançado este ano pela Companhia das letras. Não à toa, o livro foi escrito durante 2016 e em plena ebulição das eleições nos EUA. Porém, apesar da grande mídia ter dado destaque a
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Dica de estreia – Adoráveis Mulheres
por Bruno Lisboa
em 09/01/20

Nota: Greta Gerwig aos poucos vem se firmando com umas das atrizes mais versáteis do cinema do cinema moderno. Prova disso, é o fato de que para além de estar em frente as câmeras em produções elogiadas como O plano de Maggie. Mistress America e Mulheres do século XX, Greta já provou que seus predicados
Postado em: Dica de estréia
Tags:

Resenha – A terra inabitável
por Patricia
em 08/01/20

Nota: “Muitos enxergam no aquecimento global uma espécie de dívida moral e econômica, acumulada desde o início da Revolução Industrial, e acham que agora a conta chegou, depois de vários séculos. Na verdade, mais da metade do carbono dissipado na atmosfera à queima de combustíveis fósseis foi emitido apenas nas últimas 3 décadas.” (pág. 12)
Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Resenha – O jogo da amarelinha
por Juliana Costa Cunha
em 06/01/20

Nota: Cortázar, aos 23 anos, fugindo da ditadura na Argentina, foi morar em Paris e lá permaneceu até a sua morte. Horácio Oliveira, argentino e personagem principal do O jogo da amarelinha também foi morar em Paris. Por isso, e por outras passagens inseridas na narrativa, este é um livro com fortes traços autobiográficos, segundo
Postado em: Resenhas
Tags: , ,