Participação Especial – O Hobbit
por Poderoso
em 12/12/12

Nota:

No início da década de 1930, Tolkien já era professor na Universidade de Oxford, na Inglaterra. Enquanto corrigia algumas provas, ele pega uma das folhas de resposta entregue em branco por um dos alunos. Aquele simples pedaço de papel em branco começou a exercer uma atração irresistível nele, e pegando uma caneta tinteiro ele escreve a seguinte frase:

In a hole in the ground there lived a hobbit”

E desse jeito, com esta simples frase escrita em uma prova entregue em branco, surge um dos melhores livros que já li até hoje.

Pra quem já conhece O Senhor dos Aneis, seja pelo filme ou mesmo pelo livro, sabe que o hobbit Bilbo Bolseiro possuía um anel com poderes mágicos. Sabe que este anel foi entregue para o sobrinho dele, Frodo Bolseiro. Sabe também que após uma longa e difícil jornada, este anel foi destruído nas Montanhas da Perdição (Orodruin para os mais chegados), local onde Sauron o forjara. E por fim, sabe que após a destruição deste anel, Sauron foi derrotado por completo.

Mas o que você não sabe tendo lido/assistido O Senhor dos Aneis apenas é como este anel tão importante fora parar nas mãos de alguém tão “insignificante” se comparado aos grandes senhores da Terra Media. E é justamente isto que o livro O Hobbit nos conta, como Bilbo Bolseiro achou o Um Anel.

Não pensem que o livro gira em torno disso, muito pelo contrário. Aliás, o anel quase não tem importância ainda, ele é usado por Bilbo (que descobre que o anel o torna invisível quando posto no dedo) em algumas situações, mas se não fosse isso, a gente nem se lembraria da existência dele durante todo o livro.

Mas se o livro não tem como foco isso, qual é então? Eu digo, a história narra a jornada de Bilbo Bolseiro, Gandalf O Cinzento e uma companhia de treze anões liderados por Thorin Escudo de Carvalho. Jornada esta que tinha como finalidade reaver o tesouro dos anões roubado por Smaug, um dragão velho, poderoso e inteligente, que vive agora na Montanha Solitária, deitado em cima de uma pilha feita com os tesouros.

Mas antes de chegar até o velho Smaug, nossos bravos companheiros precisam enfrentar diversos perigos, tais como trolls, orcs, wargs, as forças da natureza e muitos outros. Precisam aprender a confiar um no outro, e principalmente a confiar em Bilbo que entrou mesmo sem querer nesta aventura, graças a Gandalf, que conseguiu ver nele o que ninguém mais conseguia. Muitas vezes a vida de todos só foram salvas graças ao nosso pequeno hobbit, que mostrou o seu valor e conquistou o respeito de todos.

O Hobbit é um livro infantil, é possível perceber isso pelo clima dele, que é bem mais leve do que n’O Senhor dos Aneis, mas isso não torna o livro chato, só faz com a leitura do livro seja mais divertida. Outro ponto legal é que o livro é bem dinâmico, a história se desenvolve bem rapidamente, sem muito intervalo entre um acontecimento e outro. Tolkien neste livro não se prende muito em descrições dos locais como ele gosta de fazer, e muita coisa acontece “por baixo do pano”, sendo apenas citada rapidamente (tudo isso depois foi tratado nos apêndices d’O Senhor dos Aneis). O livro não possui nem 400 páginas, mas devido ao ritmo acelerado dele acontece MUITA coisa. Não é a toa que Peter Jackson conseguirá extrair três filmes a partir dele.

Aliás, o filme é outro ponto que quero citar. Peter Jackson com os três filmes d’O Senhor dos Aneis, fez uma das melhores adaptações literárias que o cinema já viu, ele estando no comando d’O Hobbit nos dá praticamente a certeza de que veremos mais três filmes épicos. E se não bastasse ainda há mais, ele está gravando este filme em 48FPS, o dobro do que o formato atual de gravação, o que irá conferir um nível de realismo nas cenas que poderá até mesmo causar incômodo em algumas pessoas, mas que em minha opinião servirá apenas pra tornar o filme ainda melhor.

O filme estreia mundialmente no dia 14 de dezembro, e será possível assisti-lo neste formato novo em algumas salas espalhadas pelo Brasil. Se houver alguma perto de você, recomendo que pague um pouco mais caro e mergulhe de cabeça nessa experiência. Se não houver nenhuma sala próxima a você, assista-o no formato tradicional mesmo e pode ter certeza que a experiência será única também.

E é claro, pra terminar não posso deixar de falar que quem ainda não leu este livro não sabe o que está perdendo, leiam sem medo de ser feliz.

Rafael Felipe Gati

Postado em: Participação Especial
Tags: , ,

5 Comentários em “Participação Especial – O Hobbit”


Avatar
Gláucio César Marcos dos Santos em 12.12.2012 às 09:33 Responder

Bom dia, Gorth.
Excelente resenha,
conseguiu expressar de maneira sucinta e objetiva tudo o que esse livro sensacional é.
Li recentemente e estou ansiosíssimo pela adaptação.

Abraço.

Avatar
Rafael Felipe Gati em 12.12.2012 às 10:20 Responder

Muito obrigado Kalebe. =)

Fez bem em ter lido antes do filme, nesse caso eu acho melhor. Senão depois você poderia ser influenciado pela visão do Peter Jackson, que apesar de boa não é a sua visão.

Mas cara, já é depois de amanhã a estreia!! E eu estarei lá!!!

Aliás, obrigado pessoal por terem publicado minha resenha, fiquei feliz que vocês gostaram. =D

Avatar
Paty em 12.12.2012 às 12:52 Responder

O prazer é nosso. É ISSO que queremos quando falamos de “falar de livros”. 😉

Avatar
Camila Almeida em 05.02.2013 às 19:56 Responder

O livro é mesmo bem diferente das outras obras conhecidas de Tolkien. Sem aquele detalhismo demasiado encontrado em O SENHOR DOS ANÉIS, mas com a mesma magia. Vale dizer que, sim, é bom dar uma lida antes de conferir as adaptações, afinal muitas coisas são resumidas, e até mesmo MUITO modificadas em relação à obra. Esperei bastante pela resenha, achei que vocês não falariam dos filmes e etc. Desculpa a demora pra comentar, já que fiz uma “pressão” no twitter pra ler logo, e parabéns (rs)!

Avatar
Paty em 05.02.2013 às 20:20 Responder

Oi Camila, não estresse com a pressão (rs). Você nos deu a idéia para essa super participação especial. 🙂
Obrigada por passar por aqui.

Bjos.


 

Comentar