Resenha De Quadrinho – Hip Flask – Seleção Não Natural
por Ragner
em 15/04/15

Nota:

Hip-Flask

 

De cara já entendi Hip Flask como uma história Cyberpunk, que mistura ficção científica com circunstâncias distópicas e condições marginais. Não é exatamente uma cultura que me motiva muito, que me interesse tanto e nem que me faz ter bastante curiosidade, mas mesmo assim consegue ter um certo atrativo. Nos anos 90 tive a oportunidade de ter contato com a arte cyberpunk e ser consumidor de quadrinhos do gênero, vi uma coisa ou outra, mas nada que me fizesse fã, talvez se tivesse investido naquela época, eu poderia ser um consumidor voraz.

A cultura Cyberpunk tem algumas coisas que, sim, me agrada bastante e o fabuloso Blade Runner está incluído aqui, até mesmo Matrix é tem ares Cyberpunk, mas esses são apenas dois exemplos que ainda me faz ter motivação para ler ou conhecer sobre.

Tive contato com Hip Flask em uma bienal do livro, dei uma folheada e meses depois, em uma ressaca literária, me propus a lê-lo. A arte é bem chamativa, pesada, típica de quadrinho adulto, uma legítima Graphic Novel e as ilustrações que mesclam humanização e animalidade estão bem legais, sem esquecer das cores, que flutuam constantemente entre cenários frios e escuros, que caracterizam fantasticamente aquele ar futurístico e proporcionalmente distópico.

HP 03a

Tudo tem início no ano de 2218, quando um cientista faz experiências embrionárias testando a possibilidade de unir DNA humano com o de outros animais, para criar uma raça única, forte, imperativamente superior e com instinto capaz de subjugar qualquer homo sapiens, mas que seja absurdamente submissa a seu criador. Com o sucesso do nascimento de alguns “filhotes”, a doutrinação educativa tem início no ano de 2231. A base do Dr Nikken é no Norte da África e os animais envolvidos são jacarés, zebras, hipopótamos, rinocerontes, girafas entre outros animais. Com corpo humanóide e cabeça animal, todos os espécimes passam por treinos severos e lavagem cerebral constante.

Após a investida dos homens no complexo onde as experiências de Nikken aconteciam uma verdadeira chacina acontece e alguns espécimes são levadas para colônias de homens. Não para serem domesticadas ou escravizadas, mas para o que parece constituir uma possível conivência.

Hip Flask é uma história introdutória, tudo vai sendo desenvolvido muito rápido e no final muitos caminhos parecem passíveis de serem seguidos. Ainda mais quando um Rinocerante chamado Obadiah parece ser envolvido com uma humana e demais espécimes vão aprendendo a viver entre os homens. A coleção que tem Hip Flask como primeiro exemplar se chama Elephantmen. Encontrando outros números, faço questão de falar sobre por aqui.

Postado em: Quadrinhos
Tags: , , , ,

Nenhum comentário em “Resenha De Quadrinho – Hip Flask – Seleção Não Natural”


 

Comentar