Resenha – A casa dos Budas ditosos
por Patricia
em 15/04/13

Nota:

apagar

Um belo dia, nosso autor recebe uma pacote com fitas de uma mulher desconhecida. As fitas contam a história da vida dessa mulher mas, de maneira nenhuma, dentro do clichê que esperamos quando uma senhora decide dividir o que aprendeu e toda sua sabedoria de como a vida é bela e tudo o mais. Aliás, aos poucos, o autor vai desmistificando que a sabedoria da velhice tem a ver apenas com “não se arrepender do que não fez” e coisas do tipo. Até porque, nossa narradora fez tudo o que lhe deu na telha.

O resultado, no entanto, é um tipo de auto-biografia sexual. Nossa querida senhora nos apresenta todas as loucuras sexuais que cometeu na vida em nome da diversão pura e da satisfação, longe dos preconceitos impostos pela sociedade e sem se importar nem um pingo com eles. Ela nos conta, por exemplo, como se roçava no tio, como adorava ficar com o irmão e desde criança já sabia que era boa no sexo.

Não há nenhum tipo de censura nas páginas, assim como não haveria se você estivesse contando para alguém que não conhece tudo o que já fez na vida (porque, às vezes, é mais fácil contar para quem você não conhece se as coisas têm o nível de loucura que essas aqui têm). De maneira chocante e divertida, ela nos leva a passear por uma vida de auto indulgência sem qualquer restrição mostrando que os limites que temos podem ser ultrapassados a qualquer momento. Basta querer e abrir mão de se importar com as opiniões alheias – algo que todo mundo no facebook diz que faz, mas a gente sabe que, no fim, não coloca isso na prática.

No centro do livro, ela explica diversas vezes que seu desejo é que suas histórias façam com que as mulheres sintam-se mais a vontade para falar e fazer sexo, sem se restringir ao que ouvem que é certo ou aceitável. Muito claramente, ela explica como o sexo serve como equalizador na “guerra dos sexos” já que o homem tem um estigma muito forte de ser sempre o provedor de orgasmos e não pode brochar, errar, falhar e nem chorar. Enquanto isso, a mulher faz o que quer e coordena a situação dentro de sua zona de conforto ou até onde ela se permite ir. O sexo resume, por fim, o poder feminino fatal – para os meninos: seria a lança enfiada (wink, wink) no coração do inimigo, ok?

A leitura desse livro é realmente divertida e intrigante e nos faz repensar alguns dos conceitos que conhecemos sobre o que é certo e errado entre quatro paredes ou até onde se pode ir para se conseguir o que quer. E ela vai além do poder sexual feminino, ela analisa a sociedade como um todo de maneira tão clara que chega a doer os olhos. É impressionante o que uma pessoa que se libertou de certas convenções consegue enxergar.

É um bom livro, flui bem e mesmo as partes mais chocantes são forradas de comentários tão absurdos que chegam a ser hilários. Vale a pena conferir para irmos além do debate 50 tons de cinza: em A casa dos Budas Ditosos temos uma mulher que mal cita nomes de homens e mal os descreve. Ela quer o que quer e quando quer e se você acha ruim…bom, o problema é seu, não é mesmo?

Postado em: Resenhas
Tags: , , , ,

10 Comentários em “Resenha – A casa dos Budas ditosos”


Avatar
Franciele em 05.09.2013 às 14:28 Responder

È RIDICULO ISSO SIM!

Avatar
Paty em 05.09.2013 às 14:30 Responder

Não gostou do livro? Ou da resenha? 🙂

Avatar
duda em 28.09.2013 às 15:55 Responder

eu gostei muito do livro muito bommmm

Avatar
Paty em 28.09.2013 às 17:20 Responder

É Duda…eu também. Achei uma maneira muito original (e engraçada) de se falar sobre o tema. 🙂

Avatar
Flávio em 12.01.2014 às 21:43 Responder

Excelente livro.

Avatar
Paty em 12.01.2014 às 22:02 Responder

De acordo. 🙂

Avatar
Márcia em 30.10.2014 às 15:01 Responder

Um dos melhores que já li, sua leitura é instigante, e não monótona, quanto mais lemos, mais ficamos curiosos para chegar ao final do livro… É indicado para pessoas de mente aberta que não tem preconceito, é claro que há declarações chocantes, mas não é pq gostamos do livro, que concordamos com tudo. Mas de fato, super indico!

Avatar
Paty em 30.10.2014 às 15:08 Responder

Exatamente Márcia, não é para corações fracos. 😀 Eu me diverti horrores! 🙂

Avatar
lidines da siva maia em 12.08.2016 às 17:20 Responder

ainda não li o livro estou interessada mas não tenho como comprar no momento, mande o resumo do livro pra mim por email.

Avatar
Daniel Viana em 03.04.2017 às 14:09 Responder

É um livro pulsante do começo até o fim. Não dá pra parar de ler…


 

Comentar