Resenha – A faca sutil
por Patricia
em 05/05/14

Nota:

Philip Pullman - A faca sutil

A Faca sutil é o segundo volume da série Fronteiras do Universo. Já falei sobre o primeiro aqui. Se você ainda não leu o primeiro volume, recomendo não ler essa resenha porque esse livro parte exatamente de onde o outro termina. Eu avisei, hein?! (Porém, o que você está fazendo na vida que ainda não leu esse série? Pense nisso também). 😉

Já sabemos que ao final de A bússola de Ouro o mundo virou uma bagunça. Lyra saiu atrás de seu pai que havia sumido, Iorek saiu de cena para assumir seu reinado e o mundo foi tomado por uma névoa estranha. Pois bem.

A faca sutil começa nos apresentando a Will. Um jovem cuja mãe está bem desequilibrada mentalmente e o pai está não se sabe onde. Ele nota que algo muda quando homens aparecem do nada perguntando de seu pai e perturbando ainda mais a mãe. Eles chegam ao ponto de invadir a casa e o menino percebe que precisam sair dali com urgência. Ele deixa a mãe com sua velha professora de piano e parte sozinho para tentar encontrar o pai. Enquanto vaga pela cidade à noite, ele nota algo estranho: parece uma janela invisível, mas que serve de porta para…outro mundo. Ele aproveita para se refugiar ali enquanto decide como começar a busca pelo seu pai. É aqui que as vidas de Will e Lyra vão se cruzar. Eles se encontram numa cidade de outro mundo e que parece abandonada e decidem se ajudar – depois de muito estranhamento.

A contextualização fica por conta de Serafina Pekkala, uma feiticeira que estava ajudando Lyra, mas que agora está perdida no meio do campo de batalha. Ela consegue se infiltrar no barco onde a Sra. Coulter está escondida e onde os religiosos torturam uma outra feiticeira para descobrir o paradeiro da menina. Quando consegue reunir o Conselho das feiticeiras, elas decidem que precisam encontrar Lyra antes que a coisa toda desande.  Nesse meio tempo, Serafina encontra o criado de Lorde Asriel que ilumina algumas questões importantes: enquanto ninguém sabe porque os experimentos em crianças estavam sendo conduzidos, o criado tem uma idéia que parece absurda à primeira vista: Lorde Asriel quer destruir A autoridade (ou Deus, como o sabemos).

Só que com a confusão causa a abertura de uma fenda no céu que parece ser uma passagem para mundos diferentes.

E esses são apenas os primeiros dois capítulos.

Os Espectros que sugam a vida dos adultos me lembraram os Dementadores de Harry Potter. Ele agem mais ou menos da mesma maneira. Exceto que os Espectros não têm interesse em crianças e, claro, acabam obedecendo a Sra. Coulter sem pestanejar.  Além disso, sai ursos de armadura, entram anjos iluminados. Gostei mais dos ursos.

Tem muitos detalhes explicados ao longo do livro – de física a religião – que se o leitor piscar, perde. Não falta ação, personagens controversos, gente querendo atrapalhar e gente querendo ajudar, mortes e heróis. Mais uma vez, Pullman cria uma aventura que exige tanto do leitor quanto dos personagens.

O livro termina com um cliffhanger incrível e fiquei até um pouco desnorteada. O autor faz com que seja quase impossível não começar o terceiro livro na sequência.

A qualidade de Pullman é inegável. O autor cria personagens diferentes, seu enredo é bem amarrado e tem elementos o suficiente para entreter por um bom tempo. Ele escreve para o leitor começar a ler e não querer parar mais.

E quero falar sobre a edição da Ponto de Leitura (selo da editora Objetiva). Não sou das maiores fãs de livros pocket e já tive problemas com edições mal feitas. Mas a Ponto de Leitura criou uma edição fantástica, apesar de simples. A leitura é confortável mesmo com a letra menor. A diagramação é decente e, claro, o livro é consideravelmente mais leve. Hoje, compro apenas edições pocket dessa editora e da L&PM porque já joguei dinheiro fora com outras.

Mas enfim, Pullman vale a pena e está, livro por livro, fazendo seu caminho para a minha lista de autores preferidos. Uma lindeza.

PS: Saudades Iorek.

Postado em: Resenhas
Tags: , , ,

1 Comentário em “Resenha – A faca sutil”


Avatar
ian em 17.06.2016 às 12:06 Responder

eu achei muito foda o livro. Não tive acesso do primeiro livro mas vi o filme(a bússola de ouro) e depois tive acesso ao segundo (a faca sutil) e fiquei chocado com o final, como will conhece o pai e depois de um estante ele morre (arrepio). Que treta o muleque se mete, pois bem e o que ele vai fazer agora continuar sua missão ou procurar Lyra? incrivelmente foda.


 

Comentar