Resenha – A Farsa De Prometeu
por Ragner
em 06/12/13

Nota:

Índice

Sou mega fã da trilogia Bourne e gostei do 4º filme que apenas o cita. Robert Ludlum é o criador do universo Bourne e é um sujeito profundamente conhecedor de assuntos sobre espionagem e intrigas internacionais. Ainda não corri atrás dos livros da série, mas me deparei com esse que estou a resenhar em um salão do livro e não tive dúvidas ao comprar.

Há muito tenho lido mais desse gênero e, não somente, me faz ter ideias a mais para meus futuros livros, como também me agrada bastante todo o enredo de intriga e ação que existe em cada página que tais histórias possuem. Aqui temos aspectos que são parte essencial à narrativa, como a globalização e o ritmo ágil das operações, mas o autor, como alguns outros que já pude ler, desenvolvem o protagonista longe da perfeição regrada e surreal. Não temos um James Bond, mas temos um agente que quase morre algumas vezes e combate os inimigos da forma mais humanizada possível.

Nicholas Bryson durante 15 anos foi o melhor agente de uma organização ultra secreta denominada O Diretório, onde ele agia de forma independente e sem interferência do governo norte-americano. Durante uma ação bem sucedida, mas que quase deu mega errado, seu superior e mentor o noticia que deve deixar as ações de campo e se aposentar. Bryson fica desolado com a determinação, mas aceita seu futuro. Passando a ser o professor Jonas Barrett, ele vive 5 anos lecionando em uma Universidade na Pensilvânia, até que um dia a C.I.A o encontra e tenta o recrutar, destruindo todo seu passado e deixando-o atordoado com o falso conhecimento que tinha sobre tudo que era e quem eram as pessoas com quem conviveu durante os 15 anos.

 

post

 

Mesmo com um início cheio de interrogações, Bryson aceita a missão de desmascarar seus antigos empregadores, mas o tempo afastado parece tê-lo deixado um pouco displicente. Mesmo com suas percepções elaboradas, sua forma física ainda excelente, sua técnica antes perfeita e ainda melhor do que muitos outros e sua atenção focada, ele passou muitos anos completamente fora desse mundo e isso pode até ser um agente destrutivo, mas por ter sido o melhor em sua área e por ainda cultivar vários conhecimentos e sentidos da sua época no alge, ele vai conseguindo descobrir mais sobre sua vida e eliminar quem estiver no seu caminho.

Todo um contexto político de intrigas e turbilhão internacional que deixa qualquer roteiro hollywoodiano com inveja, vai sendo detalhado com primor e entusiasmo nesse livro. As missões e estratagemas de assalto e fuga são criados com esmero e o autor não poupa páginas para detalhar cada ação e evolução do que está acontecendo, até nos momentos mais técnicos, demonstrando um conhecimento factual de todo o universo que engloba situações assim.

A Farsa De Prometeu é um thrilher recheado de momentos que valem as 619 páginas.

 

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha – A Farsa De Prometeu”


 

Comentar