Resenha – A trégua
por Patricia
em 05/06/13

Nota:

vol1A trégua é minha introdução ao uruguaio Mário Benedetti e QUE introdução. Aliás, ainda não li um livro dessa coleção da Folha que não fosse ótimo. A seleção realmente está me surpreendendo. Mas vamos falar do motivo desse livro ser tão bom…

O livro é o diário de Martín Santomé que está em uma fase estranha da vida. Viúvo, prestes a completar 50 anos e se aposentar, ele escreve sobre seu dia a dia que gira em torno de seus 3 filhos (com quem ele não tem uma boa relação), seu trabalho no setor administrativo de uma importadora de autopeças e seus devaneios sobre como será sua vida pós aposentadoria.

Enquanto o leitor espera que seja algo chato e talvez um tédio, é exatamente ao contrário. Martín escreve em seu diário  seus pensamentos mais profundos mostrando sua estafa com a vida no geral, seus ressentimentos com a morte da esposa bem como suas lembranças mais profundas.

Ele é um homem levado pela rotina e teme seus dias de ócio total na mesma medida em que deseja que eles cheguem logo. Na importadora, ele conhece uma jovem que começa a trabalhar na sua área e, rapidamente, eles começam a sair. Ela é mais de 20 anos mais nova do que ele, e isso causa certa preocupação, mas parece que serve como um bálsamo na vida de Martín.

images

Sua vivência com seus filhos é complicada. O mais velho é revoltado e está perdido na vida, o do meio – Jaime – é homossexual e, depois de apanhar do irmão quando lhe revelou a verdade, sai de casa. Martín descobre a verdade por uma carta.

O livro não tem nenhuma reviravolta absurda, nenhum drama exacerbado. Tudo isso reflete Martín que é um homem comedido, que se priva de grandes emoções – ou pelo menos as descreve de maneira bem racional – e não espera muito da vida. É um livro escrito com esmero e cuidado que vai delineado uma vida sem muita expectativa mas com conteúdo o suficiente para nos prender nas páginas. Além de ser curto. Todos esses elementos resultam em uma leitura rápida e, ainda assim, cheia de conteúdo.

O título é explicado e tem muito a ver com religião, amores, perdas, dúvidas e tudo o mais. É difícil imaginar que tudo isso possa ter algum significado com o título mas o autor consegue fechar tudo de maneira muito interessante. Pessoalmente, gosto muito desse tipo de história. Fico sempre pensando como vou ver a minha vida quando eu, teoricamente, já souber mais das coisas. Me parece que quanto mais vivemos, mais imparciais conseguimos ser na análise geral das coisas. Martín é desses que olham para trás e sabem que tem coisas que simplesmente não vamos lembrar mais, que não valem a pena e que pensar demais nisso não é necessário. Afinal, já passou.

Imagino, porém, que possa soar cansativo para algumas pessoas que esperam sempre ação e mortes e romances intensos e tudo o mais. Mas Benedetti fala da vida como ela é e não de uma vida romanceada por anos e anos de filmes com temáticas absurdas. Esse é seu grande trunfo.

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

2 Comentários em “Resenha – A trégua”


Avatar
Dani em 05.09.2014 às 00:34 Responder

Eu li esse livro quando estava estudando em 2010. Confesso que peguei pela capa,mas ele é muito bom mesmo. Complicado escrevermos sobre livros feito por grandes pessoas,parece que não conseguimos passar toda a emoção do livro.
Mas gostei do que escreveu sobre ele. Bom achar pessoas que saem daqueles livros modinhas e percebem que existe livros muito bons por ai que não são reconhecidos!
Leiam galera: http://portugues.free-ebooks.net/ebook/A-Tregua

Bjs

Avatar
Paty em 05.09.2014 às 08:31 Responder

Ahh…mas a melhor coisa é ler um livro sem saber nada e se deixar ser surpreendido. Eu não costumo ler contra capas nem nada justamente porque gosto dessa sensação. Claro que nem sempre dá certo, mas tudo bem. Quanto a Benedetti foi uma agradável surpresa. Como fã de literatura latina, fiquei encantanda. 😀
E espero ler mais do autor em breve. 🙂

E volte mais vezes. O que mais tem aqui no Poderoso são livros fora da modinha. Ou pelo menos a gente tenta. hahaha
Bjos.


 

Comentar