Resenha – Beyond The Music
por Gabriel
em 20/04/16

Nota:

beyond_the_music_front_lg

 

“Beyond the Music” é um livro de entrevistas escrito por Joe Biel, fundador de algumas editoras independentes e figura carimbada do mundo dos zines americanos. Joe também foi roadie de algumas pequenas bandas independentes, carregando equipamentos e dormindo em vans por aí. Este livro é uma tentativa de mapear o que a “cultura de faça-você-mesmo” que é tão natural ao meio punk (DIY Culture no original) gerou e gera de iniciativas não relacionadas a música. Biel entrevista pessoas com projetos variados e com ideias bem progressistas de sociedade. Visões de mundo que acreditam em horizontalidade, relações interpessoais mais justas e geralmente na capacidade humana de produzir coisas boas em grupo. Com algumas exceções, já que o livro também traz alguns “cavaleiros solitários” que preferem trabalhar por conta própria.

As entrevistas em geral seguem um formato pré-definido que o autor aperfeiçoou ao longo do tempo. O foco é no que o mundo do punk ensinou ao entrevistado, quais as críticas dele ou dela a esse meio e no que ele ou ela tem trabalhado e pretende trabalhar. Isso faz com que a leitura seja fácil (porque o leitor já sabe mais ou menos os tópicos) mas em alguns momentos também deixa tudo muito previsível (porque algumas das perguntas geram respostas bem parecidas independentemente do entrevistado). A organização da obra não é temporal; Joe agrupa as entrevistas por um critério subjetivo em que aparentemente as melhores (ou mais fora da caixa) aparecem no começo, seguidas de outras em que ele julga que os entrevistados são mais teóricos e, por fim, das entrevistas com pessoas mais “práticas”. Essa organização não parece a ideal, já que as melhores entrevistas estão no começo e o nível da obra acaba por cair no decorrer da leitura.

Comprei “Beyond the Music” pela capa, mais especificamente pelo subtítulo: como alguém que sempre apreciou a música punk e os paradigmas de pensamento que vêm desse meio, a promessa de entender “como os punks estão salvando o mundo com a ética, habilidades e valores do DIY” (tradução livre feita por mim) soou bem interessante. E em vários momentos a impressão do leitor é de realmente estar sabendo a resposta para isso, já que existem entrevistas muito inspiradoras e relatos vindos de áreas bem inesperadas, desde um psicólogo até um fundador de uma empresa de combustíveis renováveis, passando por muitos editores, escritores e artistas independentes.

No entanto, de modo geral, Beyond the Music deixou um pouco a desejar. Não por ser ruim, já que enchi o livro de destaques de trechos que gostei. Mas porque a promessa é muito alta e o que ele entrega não é assim tão incrível. Fiquem com uma citação do livro que diz muito sobre uma visão que quase todos os entrevistados passam do punk:

“Ainda amo a música – uma parte dela – mas em termos de uma visão política, entendimento e desejo de fazer as coisas mais amplos – tem que ser algo muito maior que o punk. Tem que ser muito maior que o anarquismo e qualquer – para bem ou para mal – subcultura.” [ Ramsey Kanaan, fundador de duas editoras anarquistas]

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha – Beyond The Music”


 

Comentar