Resenha – Casa de bonecas
por Patricia
em 30/09/13

Nota:

casa-de-bonecas-50

Casa de bonecas é a peça considerada a obra prima do norueguês Henrik Ibsen.

O primeiro ato nos situa na vida de Nora e Torvald Helmer- casal da classe média que já passou por algumas dificuldades financeiras mas que agora têm a chance de ficarem ricos, finalmente, pois Helmer conseguiu um emprego como diretor de um banco de investimento. Enquanto conversam sobre presentes para os filhos e o que vão fazer na ceia, chegam o Dr. Rank – amigo da família – e uma velha amiga de Nora, Cristina Linde. Cristina está em uma fase difícil da vida: perdeu o marido, sua mãe, não tem emprego e precisa se virar para se manter. Ao saber da nova condição de Torvald,  ela pede ajuda para talvez conseguir um emprego no banco. Favores, favores.

Durante a conversa, fica claro que Nora é uma menina que adora as coisas boas da vida. Cristina reforça isso dizendo que é mais madura que Nora em muitas coisas, mas Nora rebate dizendo que salvou a vida do marido tomando uma decisão arriscada e que ninguém faria na mesma situação: quando o marido estava à beira da morte, o médico receitou uma temporada em um lugar quente. O casal escolheu a Itália mas a viagem custaria caro e eles não tinham os meios necessários.

Nora disse para Torvald que pediria o dinheiro para seu pai (que também estava à beira da morte) e tudo pareceu sair conforme o planejado. Só que Nora não pediu o dinheiro para o pai. Ela pediu emprestado de um antigo conhecido e falsificou a assinatura do pai na nota provisória (um crime gravíssimo na época).

Krogstad é o conhecido de Nora e, supresa, trabalha no banco em que Helmer assumirá a diretoria. Krogstad tem uma péssima reputação e corre na rádio peão que ele deve ser demitido. Sua má reputação vem do fato de que ele também falsificou uma assinatura e utilizou-se de contatos especiais para evitar a lei.  Agora Krogstad, que já sabe que Nora falsificou a assinatura do pai, usa isso como forma de chantageá-la a falar com o marido para que ele não seja demitido.

No auge do seu desespero, Nora pensa em várias coisas, uma delas é em se matar. Ela fica extremamente nervosa com a idéia de que Torvald assuma o problema e leve toda a culpa, já que ele a ama tanto.

Como não quero incluir spoilers, vou só dizer que Nora se decepciona muito quanto tudo finalmente vem a tona. Ela percebe que nada do que pensou que iria acontecer, de fato, acontece. Torvald descobre tudo e a julga como inconsequente. Ao invés de se colocar na linha de tiro por ela, ele diz que ela será sua ruína. Essa decepção abre os olhos de Nora para algo muito maior.

Casa de bonecas é um crítica sensacional à sociedade da época de casamentos montados como peças (wink, wink) e mulheres submissas a ponto de preferirem se matar do que decepcionar o marido. Aqui vão algumas pérolas da época:

Quando Nora diz não se importar com pessoas que ela não conhece, Torvald responde “Você é bem mulher mesmo!”

– “Uma mulher casada não pode pedir nada emprestado sem o consentimento do marido.” [Senhora Linde]

– “Eu já vi muitos desses casos na minha carrerira de advogado. Quase todo criminoso, tem uma mãe desonesta.” [Torvald]

– “Eu não seria homem se essa sua inferioridade feminina não a fizesse duplamente sedutora aos meus olhos.” [Torvald]

Só alguns exemplos entre muitos. Quando Nora percebe que o mundo não é exatamente como ela imaginou, ela reavalia toda sua vida desde sua educação básica até seu casamento e percebe que seu lugar na sociedade é nulo. Ela não é o que queria ser. Ela é apenas um espelho do que disseram que ela deveria ser. As últimas quinze páginas dessa peça são, essencialmente, um discurso da emancipação de Nora perante os dois homens de sua vida que a tornaram esse ser insosso que ela é hoje: seu pai e seu marido.

Ibsen, basicamente, estapeia a sociedade em que vivia com uma peça que poderia ser morna mas que educa descaradamente. Não tem nada escondido nas entrelinhas aqui. A interpretação é clara, direta, objetiva. Acho que foi uma das primeiras peças que li (e adianto, o gênero não é meu forte) que me prendeu totalmente. Um homem com esses pensamentos em 1800 e bolinha, merece 5 doses de café a MAIS!.

Postado em: Resenhas
Tags: , , ,

8 Comentários em “Resenha – Casa de bonecas”


Avatar
Beatriz em 09.08.2015 às 19:18 Responder

Foi muito bom ler esse resumo. Estou lendo a peça para a faculdade e gostaria antes mesmo de começar em me situar com a história 🙂 Bom saber a Nora terá um forte desenvolvimento *—*

Avatar
Patricia em 10.08.2015 às 14:47 Responder

Bem inesperado, eu diria…fiquei um tempão achando que ela seria meio sonsa, mas o discurso dela no final é excelente. 🙂 Vai firme! 😉

Avatar
CRISTIANE ALVES QUIRINO em 15.05.2017 às 16:55 Responder

Qual é o significado de Wink Wink?

Avatar
Patricia em 16.05.2017 às 09:34 Responder

Wink, wink, são como piscadelas marotas. 😀

Avatar
paulo henrique em 20.03.2018 às 10:31 Responder

Boa esse resumo ja me ajuda a fazer um trabalho de escola que tenho sobre esse livro hoje.

Avatar
Flávio Domeneghetto em 11.08.2018 às 23:03 Responder

Belo resumo, acabo de assistir a parte 2 no Sesc Consolação com elenco impecável na direção de Regina Galdino.
Vale super a pena!
Obrigado

Avatar
Jéssica em 28.11.2019 às 16:13 Responder

Esse resumo me ajudou MT já que vou fazer a prova do P.A.S e essa obra está em uns dos objetos de conhecimento gostei bastante do resumão

Avatar
Patricia em 30.11.2019 às 20:29 Responder

Opa, boa prova! =)


 

Comentar