Resenha – Cilada
por Ragner
em 16/01/15

Nota:

Imagens-Livros-Normal-LV276705_N

 

O ano começou lindo, comecei lendo bem, já estou deixando mais claro minhas prioridades, minhas vontades literárias para o ano e estou animado. Já quero comprar muito mais livros esse ano, já comprar uma estante legal para iniciar uma biblioteca cheia de opções e lindeza e deixar meu quarto mais arrumado. Um pecado do jeito que está.

Como viajei de trem e tinha algumas boas horas de trilhos pela frente, me equipei de bons livros, mas me dediquei mesmo somente a um e é esse que estou a resenhar. Começar com Harlan Coben foi uma escolha já pensada, pois o livro já estava a espera há meses e eu estava ansioso para conhecer mais dos livros em que o Myron não é protagonista. Harlan é excelente, literatura policial está no topo dos meus interesses e já acreditava que seria uma viagem bem agradável por páginas e páginas.

Já tinha lido em algum lugar que Cilada era o melhor livro do mestre das noites em claro, mas discordo, ainda não li os demais, mas alguns que tem o Bolitar como personagem principal ganham até que fácil. Toda a sagacidade da escrita do Harlan estão aqui, o mistério, os altos e baixos, o ritmo, mas já acredito que haja melhores. Gostei muito de ler, poderia ter lido de uma vez só, decidi ir aos poucos. No final não gostei de uma coisa. Quando parece que tudo termina, algo de novo surge e quando parece que vai findar, mais um indício muda o rumo de culpado e inocente. Reviravoltas são sempre legais, mas nesse caso preferiria menos.

Aqui acompanhamos a história de Wendy Tynes, uma repórter televisiva, que arma uma cilada para um possível pedófilo (Dan Mercer), mas com o tempo vai percebendo pode estar no meio de uma intriga bem maior do que imaginava. Depois conhecemos a história de Haley McWaid, uma jovem de 17 aos que está desaparecida, 3 meses se passaram e nenhuma pista foi encontrada. Essas duas histórias vão se juntando a medida em que Wendy vai descobrindo que pode ter sido enganada e levada destruir a vida de um possível inocente.

Algo que é bem legal aqui, é que temos a participação, mesmo que ligeira, de Win, sim, nosso velho conhecido Windsor “Win” Horne Lockwood III. O melhor amigo do Myron Bolitar. Com seu carismático “articule” e sendo áspero como sempre. O enredo tem as reviravoltas que já comentei, mas tudo tem sentido, tudo vai sendo bem costurado e introduzindo mais outras histórias no meio, o que ao meu ver poderia até ser descartado, mas não atrapalha no final. O que me faz agora continuar lendo Harlan, mais ainda e tentar descobri qual livro mais gosto.

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

1 Comentário em “Resenha – Cilada”


Livros | EU INSISTO! em 26.05.2015 às 21:00 Responder

[…] “Sim, a ideia de Coben foi boa. O problema é que parou por aí.” → Neutros ◆ O Poderoso Resumão – “… tudo vai sendo bem costurado e introduzindo mais outras histórias no meio, […]


 

Comentar