Resenha de Quadrinho – Conan
por Ragner
em 07/05/13

Nota:

conanintro

 

Conan é o nome da Graphic Novel e do protagonista que fez parte de minha adolescência e parte de juventude (hoje em dia não encontro fácil o gibi) entre meus vários momentos de leitura. Quando pequeno desejava ser metade do cara que Conan era (coisa de menino). Ele era o anti-herói mais truculento e mortal que já existiu. Derrotava magos sinistros, feras horripilantes e monstros gigantescos e ainda terminava com uma linda princesa ou linda ladra ou linda guerreira que, eventualmente lutava ao lado dele ou mesmo contra ele, as vezes.

conan

Um personagem que personifica “grandes trunfos” de Macho Alfa. O guerreiro perfeito, o amante perfeito, a coragem perfeita, o corpo perfeito e a idealização do conquistador perfeito (em todos os sentidos). Conan é muita coisa que jovens ávidos pela perfeição máscula gostariam de ser.

Durante anos suas histórias eram contadas em alguns volumes diferentes: A Espada Selvagem De Conan, Conan O Bárbaro, Conan O Cimério, Conan Rei e algumas sagas. Cada HQ enveredava por alguns enredos mais específicos ou conceitos diferenciados. A Espada Selvagem por exemplo eram, originalmente, em preto e branco e depois teve algumas poucas edições coloridas e Conan Rei já o retratava mais velho, com batalhas seguindo um contexto diferente das outras revistas.

0001

Desenhos e Filmes foram realizados sobre o universo do Cimério. Arnold Schwarzenegger trabalhou em dois filmes: Conan, O Bárbaro e Conan, O Destruidor, com tramas que não são intercaladas. Em 2011 houve uma releitura do Cimério e outro Conan, O Bárbaro, com Jason Momoa  foi lançado. Outra história, outra realidade.

O Anti-Herói já foi pirata e mercenário, lutando contra qualquer horda ou inimigo que estivesse em seu caminho. Mas sempre combateu com honra e acreditando em sua verdade, sendo ela, sempre, do lado do bem. Mesmo sua natureza, como um fora da lei, Conan não destruía a ordem vigente se essa fosse correta. Reis e governantes malignos sentiam sua ira, pois o bárbaro defendia quem fosse subjugado pela vilania. Não importando de que lado ela viesse.

A dica desse quadrinho é impulsionado pelo fato que de entendo que os enredos e os desenhos, devem ser conhecidos. O tempo e o espaço em que o protagonista viveu, pode, um pouco, retratar certas regiões que na verdade existem. A Era Hiboriana tem a ver com uma época mítica e mística antes ainda do desastre glacial na Terra e sua a localização pode ser determinada como parte da Europa e algumas regiões da África.

 

 

Postado em: Quadrinhos
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha de Quadrinho – Conan”


 

Comentar