Resenha de Quadrinhos – A Liga Extraordinária Volume 2
por Gabriel
em 09/08/14

Nota:

A Liga Extraordinária Volume 2

Chegamos ao segundo volume da Liga Extraordinária! A série já teve o seu primeiro número resenhado aqui anteriormente há pouco tempo e retorna hoje.

Alan Moore novamente nos brinda com interligações entre grandes obras da literatura inglesa, começando pelos personagens principais, que são os mesmos da primeira edição: Allan Quatermain (das Minas do Rei Salomão), Mina Harker (do Drácula de Bram Stoker), O Homem Invisível (de H.G. Wells), Capitão Nemo (de Júlio Verne) e Mr. Hyde (o Monstro de O Médico e o Monstro). Além deles, outras surpresas são guardadas para o decorrer da edição.

A HQ foi muito bem editada no Brasil, publicada pela Devir Livraria com altíssima qualidade de impressão e material. Além da história em si, muito material extra está incluso no pacote, deixando ainda mais rico o mundo criado por Moore com base nas referências literárias mais diversas.

A história se inicia em um outro planeta, que depois sabemos ser Marte. Em Marte, extraterrestres de duas raças estranhas lutam entre si enquanto alguns humanos tentam sobreviver. Quando os humanos passam a interferir fortemente na batalha, uma das raças resolve enviar cápsulas de ataque… para a Terra. E essas cápsulas já são mais uma referência, só que dessa vez cinematográfica; elas são idênticas a esta famosa imagem de Uma Viagem para a Lua, clássico francês de 1902:

0712essentialsmelies

Além das cápsulas, as primeiras páginas já nos revelam outra referência: vemos ali os tripods (ou tripés, em tradução literal) de Guerra dos Mundos, outro livro famoso de H.G. Wells que também rendeu filme a alguns anos atrás.

Reunida para enfrentar esta súbita invasão marciana, a Liga Extraordinária volta a agir com sua formação original, mencionada acima. E como todo grupo dos quadrinhos, isto garante brigas antigas, rancor, amor, paixões não correspondidas e tudo o mais. Mas o grupo defende Londres com unhas e dentes contra o ataque dos marcianos e seus tripés. Para encontrar a solução, buscam até mesmo um antigo Doutor, que operava uma ilha e fazia experimentos, e agora vive em uma cabana com suas… criações. Outra referência genial que vai agradar a quem conhece esta obra.

A arte da HQ dispensa comentários. Se no volume 1 a arte já é incrível, neste volume Kevin O’Neill se supera. Páginas duplas aparecem desde o começo, com cenas de batalha ou simplesmente panorâmicas; todas impressionantemente minuciosas e bem desenhadas e coloridas. Está lá novamente a narração com quadros, utilizando uma irônica linguagem rebuscada e antiga; desta vez, no entanto, o senso de humor da HQ é mais britânico ainda: são feitas diversas referências inglesas nestas narrações.

O volume 2 da Liga Extraordinária traz ainda mais referências que o primeiro e impressiona o leitor com a habilidade com que Moore as insere. A obra traz algumas ótimas sacadas, como a “origem” do nome do Hyde Park, em Londres, ou o nome do condutor das carruagens em que o grupo se transporta (William Sansom, escritor inglês da época que foi bombeiro em Londres). Está na obra também o doutor Jimmy Grey, que constrói um submarino super resistente em uma obra de 1949. O doutor é criança na HQ e conhece o submarino do Capitão Nemo. Outra sacada interessante são os símbolos da maçonaria e dos illuminati, que aparecem em todos os veículos oficiais e uniformes do governo inglês da época.

Esta HQ é obra para iniciados em quadrinhos e literatura. Um prato cheio que dispensa comentários; leia anotando os nomes e buscando as referências depois, vale a pena! Boa leitura!

 

Postado em: Quadrinhos
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha de Quadrinhos – A Liga Extraordinária Volume 2”


 

Comentar