Resenha de Quadrinhos – A última caçada de Kraven
por Thiago
em 03/09/14

Nota:

kraven 1

 

Sempre tive uma predileção por vilões, heróis são, de um modo geral chatos, moralistas, pouco elaborados, mesmo os muito famosos, se são super então, acabam se tornando super malas. Enquanto isso os bons vilões exigem um trabalho melhor dos autores, e não me refiro apenas ao mundo dos quadrinhos não, a complexidade exigida para se fazer um bom personagem deste tipo é muito maior, claro que há um monte sem motivação e com planos similares a de crianças do jardim de infância.

Nos quadrinhos um dos vilões que mais gosto, ou melhor, uma das histórias de vilões que mais gosto é esta aqui: A ultima caçada de Kraven.

Em 1987, a Marvel publicou o arco, escrita por J. M DeMatteis e desenhada pelo Mike Zeck, com arte-final de Bob McLeod. A história foi distribuída entre três revistas do amigo da vizinhança: Web of Spider-Man,The Amazing Spider-Man e The Spectacular Spider-Man. A história foi lançada no Brasil pela Editora Abril, em uma mini-série em formato americano; depois, encadernada. A Panini relançou a hq encadernada em 2004. A hq retorna às livrarias pela Salvat, dentro da coleção Graphic Novels Marvel, com 160 páginas, capa dura, um monte de extras e por R$ 29,90.

Sei que a galera mais nova só conhece esse vilão do Homem Aranha por causa do último jogo do mesmo pra video game, o Homem Aranha 2, onde o Kraven é apresentado como um tipo de mentor do Aranha.

Antes de falar da trama vamos apresentar rapidamente o vilão em questão. Seu nome verdadeiro é Sergei Kravinoff e apareceu pela primeira vez em The Amazing Spider-Man #15, agosto de 1964. Ele é meio irmão do Camaleão (outro vilão do aracnídeo bom vizinho), com quem morou por um tempo em sua pátria, a mãe Rússia, eles entram aqui na vasta categoria de vilões russos que surgiram nos quadrinhos devido a guerra fria.

Antes de se tornar um vilão, conhecido pela alcunha de Caçador, Sergei Kravinoff fazia parte de uma família abastada na antiga Rússia czarista. Durante a revolução bolchevique que modificou aquele país e criou a União Soviética, a família Kravinoff teve que se refugiar na América.

Esse russo com um visual meio estranho (calça de licra de oncinha), quase um Twisted Sister, resolve usar a fortuna da família pra se tornar o melhor caçador do mundo, para isso vai para a Africa buscar seus troféus com as próprias mãos e algumas armas primitivas. Em algum momento não muito bem explicado de sua história ele toma uma poção estranha, ela o deixa com algumas habilidades super humanas que melhoram sua atuação enquanto caçador.

download (32)

Seu meio irmão, o Camaleão, o convídou para caçar uma nova presa na América, e o objetivo da empreitada era derrotar o Aranha, em algumas histórias ele é derrotado e ridicularizado pelo nosso herói, porém aqui a coisa é mais séria, afinal é a ultima caçada do cara.

A revista tem um ar mais adulto, não por ser violenta ou conter cenas de sexo, mas pela trama em si, por conter menos diálogos explicativos e bons momentos intrispectivos dos personagens.

Nessa história Kraven tem o plano definitivo para derrotar o Homem-Aranha e provar que é o melhor caçador do mundo, e que nenhum animal pode fugir dele, nem mesmo um super herói, o bacana é que ele consegue (isso nem é um spoiler pois ta na sinopse e na capa praticamente).

Durante uma noite de insônia, Peter sai pela cidade usando seu uniforme negro, debaixo de uma forte chuva, quando é atacado por Kraven, que consegue acertar um dardo tranquilizante no herói.

O Aranha ainda tenta lutar, mas é facilmente derrotado e leva um tiro à queima-roupa do vilão. Em seguida, Kraven coloca o herói em um caixão e o enterra. A lápide do túmulo diz: “Aqui jaz o Homem-Aranha. Morto pelo Caçador”. Como conseguiu o que queria, Kraven coloca em prática a segunda parte do seu plano: usando um uniforme do Aranha, ele sai pela cidade combatendo o crime, para provar que ele é um Homem-Aranha melhor do que Peter Parker.

download (31)

A partir daí, um novo Homem-Aranha começa a patrulhar a cidade. Seus ataques à criminosos são brutais e impiedosos, diferente das atitudes do Homem Aranha de Peter Parker, que não matava e sim prendia os criminosos em sua teia.

Há tambés uma subtrama na revista, onde vemos a criatura conhecida como Rattus, um homem que vive nos esgotos, resultado de experimentos genéticos do Barão Zemo (outro vilão do mundo Marvel, porém mais presente nas histórias do Capitão América). No passado da linha temporal deste história, foi derrotado pelo Homem-Aranha e pelo Capitão América, e vive planejando sair dos esgotos para se vingar.  Nesse meio tempo, começa a atacar pessoas, arrastando-as os esgotos e consequentemente para a morte.

Nos decorrer da história, a trama principal se mescla magistralmente com a trama paralela e esses três personagens – o Aranha, o Caçador e Rato – nos levarão para um desfecho surpreendente.

O que gosto nos vilões é que são essenciais para boas histórias, pois podem nos trazer ótimos conflitos. Aqui há diversos pontos de conflito que vão se juntando; o conflito da caça de Kraven ao Home Aranha, o conflito do próprio Aranha, o conflito de um terceiro elemento, o Rattus, que aparece em busca de vingança, e claro, o conflito do personagem principal aqui, o Kraven. Toda a história é sobre o cara e seu inimigo interno, seu ego, um personagem que busca sempre ser melhor, pra isso escolhe a caça e ser maior que animais temidos por todos os seres humanos.Kraven busca aqui se encontrar, em meio a um grande conflito interno, assim como nós o tempo todo fazemos, nessa cultura onde o que equivocadamente importa e é ser mais que o outro, ser “o melhor”, alcançar o topo sem poder jamais errar.

Depois dessa, boa leitura a todos e cuidado com o Kraven que há em você!!

Obs: essa história daria um ótimo filme do Homem Aranha.

Quem quiser conhecer mais sobre a origem deste vilão recomendo este vídeo aqui.

Postado em: Quadrinhos
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha de Quadrinhos – A última caçada de Kraven”


 

Comentar