Resenha de Quadrinhos – Calafrio
por Gabriel
em 09/11/13

Nota:

Calafrio

Já falei de outros títulos da série Vertigo Crime por aqui, sempre HQs cujo roteiro se desenrola em torno de crimes (como seria de se esperar) e investigações policiais. Porém, em se tratando de uma vertente do selo Vertigo, é de se prever uma boa pitada de surrealismo. E é isso que Calafrio traz como diferencial.

Roteiros policiais existem aos montes. Se os bons exemplares deste tipo prendem o leitor pela expectativa de como o caso será resolvido, esta HQ não foge à escrita. E não é para menos, já que a Vertigo trouxe para este trabalho um escritor de romances policiais, Jason Starr.

Somos apresentados primeiramente a um tempo antigo, na Irlanda dos druidas. Rituais esquecidos e sacrifícios aconteciam em meio a paixões proibidas. Em seguida, voltamos aos tempos atuais, nos Estados Unidos, e vemos as consequências desses rituais se desenrolando enquanto a polícia se mantém cética e um assassino serial de métodos peculiares faz o seu trabalho.

Calafrio se desenvolve em um bom ritmo, mantendo o leitor interessado e o brindando com algumas bem elaboradas cenas (muitas restritas a maiores de 18 anos), no traço simples e limpo de Bertilorenzi. Como é tradição desta linha de HQs da Vertigo, os quadrinhos são em preto e branco, característica com a qual o artista parece trabalhar muito bem. O movimento e a caracterização dos personagens são destaques, mas a ambientação em geral é bem acabada.

Calafrio é uma HQ policial com seus méritos; não vai mudar o gênero, mas utiliza a sua dose de fantasia para se diferenciar e, com isso, consegue seu espaço. Se alguma das características aqui citadas lhe chamar a atenção, recomendo sem pestanejar.

Postado em: Quadrinhos
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha de Quadrinhos – Calafrio”


 

Comentar