Resenha de Quadrinhos – Os livros da magia
por Thiago
em 08/01/14

Nota:

Livros_da_Magia1aCapa

Em agosto do ano passado (nossa, 2013 já é ano passado) fui comprar um jornal e por acaso encontrei uma edição de luxo, da editora Panini, de uma das primeiras histórias em quadrinhos do Neil Gaiman, intitulada “O livro da magia”. Lançada originalmente em 1990 (no Brasil teve sua primeira edição entre 1991 e 1992 em 4 revistas), cada capítulo, ou revista, é pintada por um artista diferente: John Bolton, Scott Hampton, Chales Vess e Paul Johnson. No volume único você pode notar a diferença, mas não traz nenhum tipo de estranheza, pelo contrário, cada pintor traz um clima diferente, relacionado a proposta dos capítulos.

A primeira vez que a li foi a muito, muito tempo atras, numa época em que as edições de capa dura das graphic novels era coisa rara, eu ainda estava no ensino médio e ela já era um clássico. Através das 4 revistinhas que contavam a história fui apresentado ao Neil Gaiman e a um dos meus personagens preferidos o Constantine, mas a história aqui é sobre outra pessoa o Timothy Hunter.

A proposta da história é a seguinte: um garoto de 13 anos, aparentemente normal, que gosta de ver tv e andar de skate tem algo especial e não faz a mínima ideia, a potencialidade de ser o maior mago de sua era, mesmo que nem saiba ainda que a magia exista a magia sabe que ele existe.

Assim, um adolescente sem nem saber quem é ou quem pode ser tem sua vida ameaçada por algo que pode vir a ser, mas em seu auxílio aparecem 4 figuras estranhas. È então conduzido por figuras importantes do universo místico da DC – Vingador Fantasma, John Constantine, Dr. Oculto e Mister Io – numa viagem iniciática pela criação e pelo fim do universo, e por mundos de fantasia e personagens mágicos.

Eu sei, talvez você nunca ouviu falar desses caras, mas tudo bem, isso não atrapalhará tanto sua leitura. Claro que pra quem os conhece é mais legal. Sugiro o seguinte, se algum, ou alguns, que formam a Brigada dos Encapotados te chamar atenção busque mais sobre (foi assim que conheci o Constantine. Não, não pense naquele filme horroroso do Keanu Reeves).

Bom, cada um da Brigada dos Encapotados, além de proteger Tim dos perigos que corre realizam com ele uma viagem de aprendizado, e quando eu digo viagem quero dizer isso literalmente. Uma delas leva o potencial mago para o passado da magia no mundo, depois o levam para conhecer os maiores magos vivos, a terceira viagem o leva a reinos ocultos para os humanos, onde os contos de fadas existem. A última viagem de Tim é para o futuro, mas um futuro extremo e bem distante.

Após essa explicação (talvez excessiva) do enredo, vamos ao detalhes e opiniões. Primeiro o autor, caso você não saiba quem é Neil Gaiman eu vou te ajudar, uma de suas obras mais importantes é a Hq Sandman. Caso não tenha te ajudado desisto, mas mesmo assim recomendo pra quem gosta de literatura fantástica o livro Deuses Americanos do mesmo.

Aqui como em seus romances, contos e outros quadrinhos, Neil Gaiman consegue fazer a transição da realidade para a fantasia de uma forma impressionantemente leve. Nesta Hq, utilize deste artifício para nos apresentar o lado místico do universo DC. Então, preste atenção nos detalhes, nos personagens secundários, afinal nosso personagem principal é o pretexto da história e da viagem pelo lado mais fantasioso das histórias em quadrinhos (falar isso é muito estranho, história em quadrinho desse tipo, DC e Marvel, já é fantasioso, mas…).

Falando no personagem principal, prestem bastante atenção nele, sei que ele vai te lembrar alguém da literatura fantástica. Não acusarei ninguém de plágio aqui, nem o Neil Gaiman a acusou disso, diria que é uma inspiração no design e um pouquinho na história, sim estou falando de Harry Potter. Entretanto esta é uma história adulta, onde a magia não é mostrada como algo bonito e limpinho.

Por isso, este post segue com a forte sugestão para os Potters maníacos, principalmente para aqueles que cresceram lendo os livros. Leiam este quadrinho, não em busca das “origens” do Harry, leiam para conhecer Neil Gaiman e se enveredar no universo mágico que ele nos propõe em suas diversas obras.

Boa leitura a todos!

Postado em: Quadrinhos
Tags: , ,

1 Comentário em “Resenha de Quadrinhos – Os livros da magia”


Avatar
Mirian em 21.09.2018 às 14:46 Responder

Amo! Eu tinha os quatro volumes, por uma infelicidade perdi


 

Comentar