Resenha de Quadrinhos – Os Supremos: Super-Humanos
por Thiago
em 12/11/14

Nota:

ossupremos_superhumano_salvatBG_17012014

 

Quero hoje trazer mais uma Hq escrita pelo Mark Millar, dessa vez  Os Supremos: super humano. Caso tenha gostado do filme os Vingadores e quer saber mais, vai gostar muito dessa revista, caso achou que faltou algo no filme, maior profundidade nos personagens, se queria mais violência (espero que entenda que os filmes de super heróis, em sua maioria, são faixa etária 13 anos no máximo, daí a falta de sangue e outras coisas mais), uma maior complexidade de enredo, essa história é pra você.

images (47)

Em 2002, Millar recria os Vingadores para o universo Ultimate (traduzido como os Supremos), aqui é uma versão mais adulta e na medida do possível, quando se fala em super-heróis, mais realista dos personagens. A realidade aqui está na história, nos conflitos, no pscicológico dos heróis; algo como o pensamento grego em relação aos deuses, onde os mesmos deviam ser parecidos conosco, humanos, para se tornarem críveis, tendo nossas qualidades e principalmente nosso defeitos. Sendo assim, o roteirista britânico os torna mais humanos, no bom e no mau sentido. Pra isso conta com os desenhos de Bryan Hitch, que muda, pra melhor a caracterização dos personagens,  o Hulk agora assusta como deve ser, ou como eu acho que deve ser…

Aqui Nick Fury, o chefão da Shield, está tentando montar uma super equipe financiada pelo governo para conter problemas de dimensões extremas. Antes de falar da equipe vamos entender um pouco este Fury, na tentativa de trazer os personagens para o século XXI Mark Millar quis modificar a referência deste personagem de maneira nem tão drástica assim, antes o mesmo era relacionado ao Rat Pack (turma de música, humor e atuação encabeçada por Frank Sinatra, Dean Martin e Sammy Davis Jr.), enfim, os malandros, com ar superior, que mandavam em tudo, os fodas mesmo; como o personagem requer esse ar de superioridade que rosto melhor e mais atual pra dialogar com a nova geração do que o de Samuel L. Jackson? Pra mim, o personagem ficou muito mais interessante assim.12685_big

Agora quanto ao resto da equipe que o Nick Fury Jackson busca é composto pelos heróis b Homem Formiga, Vespa, Viúva Negra e Gavião Arqueiro, pelos nomes mais fortes como Hulk, Capitão América, Homem de Ferro e Thor. Cada um com uma característica diferente como o Capitão América sendo alguém realmente fora do seu tempo e extremamente auto confiante, um militar grosseirão, calejado por missões de guerra e acostumado a resolver o que tiver pela frente (ele é encontrado congelado nesta edição, enquanto Bruce Banner, o Hulk, tentava recriar o soro utilizado no Capitão, muitos anos atrás). Bruce Banner aqui é um cientista com problemas sérios de baixa estima, mas quando se transforam no Hulk vira um pitt boy sem muita capacidade de raciocínio, com doses de crueldade, egoísmo e sadismo. Tony Stark é aqui representado como um mega empresário alcoólatra e com sérios problemas de saúde. O casal Hank Pym (Homem Formiga) e Janet (Vespa) são retratados como um casal cheio de problemas no relacionamento. O melhor de todos é o Thor deste universo, um ambientalista, defensor dos direitos humanos, um lunático, metido, um messias, hiporonga, contudo o com menos conflitos internos, mas o com mais conflitos com o universo.

Aqui o grande vilão, diferente do filme, não é o Loki ou um bando de Ets, e sim o próprio Hulk. Frustrado e desesperado por não obter resultados satisfatórios nas pesquisas de recriação do soro do supersoldado, Banner injeta em si mesmo uma mistura de sangue do Capitão América com o soro do Hulk para se sentir mais imponente diante das cobranças e expectativas criadas em cima de suas pesquisas. O que acontece a partir deste ponto deixo pra você ler em mais uma edição bonita de capa dura relançada pela Salvat, referente as edições 1 á 6 de “The Ultimates”.

Ultimates_Vol_1_5_Textless

Boa leitura a todos!!

Postado em: Quadrinhos
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha de Quadrinhos – Os Supremos: Super-Humanos”


 

Comentar