Resenha – Falcão-Meninos Do Tráfico
por Ragner
em 21/01/13

Nota:

FALCAO_MENINOS_DO_TRAFICO_1249002120P

 

Verdades nuas e cruas chamam bastante a atenção para o fato de não mascarar a realidade, pois os acontecimentos está ali, à frente, condizem com o que muitas vezes é obscuro ou maquiado. Falcão é uma prova documentada do que acontece entre adolescentes e crianças que estão envolvidas com o lado mais sujo e deprimente que existe no “comércio” de drogas.

Relatos concisos, perceptivelmente diretos, fazem parte de cada história aqui contada (cada capítulo é uma acontecimento a parte). Discursos de mães que aprenderam a conviver com a perda de cada filho, a fala de amigos que presenciaram execuções ou a derrota de conhecidos para o tráfico, também estão presentes no livro. A narrativa nos leva a regiões e lugares tomados e arrasados por usuários que se perderam e foram destruídos sem compaixão ou qualquer ilusão, pois sonhos ou ideias são irremediavelmente deixados de lado.

Falcão nasceu como um documentário que desvendava a verdade por trás do mundo violento que consome (sim, ainda) cada vez mais os jovens em comunidades (e até mesmo fora delas), no Rio ou no Brasil a fora. Iniciado em 1998 e finalizado em 2006, chegou à Tv como quadro jornalístico no Fantástico e sua aclamação foi tamanha, que foi lançado um livro sobre essa realidade logo em seguida.

O rapper Mv Bill e o Celso Athayde (diretor, empresário responsável por vários eventos em comunidades do Rio) são os responsáveis pela experiência de relacionar o que envolve excesso policial, discriminação racial, segurança pública e o tráfico, descrevendo para as câmeras e as páginas do livro, o universo que garante o medo e horror de viver entre marginais e a corrupção social.

Somos envolvidos em toda a loucura que toma conta da vida de 17 jovens (16 foram assassinados e o único sobrevivente só não teve a vida ceifada por estar preso). Cada um denominado de “Falcão”, batizando aquele que fica responsável por vigiar a chegada da polícia e de avisar quando isso acontece.

O 1º capítulo do livro (O Prédio) já vale ele inteiro. É possível entender toda a narrativa do livro, assim como seria possível, só por esse capítulo, montar um filme capaz de explicar as vivências dos “facões” e pessoas próximas. No tal prédio, andar por andar, vamos sendo apresentados à viciados, crianças sem expectativa de vida, delinquentes desorientados e outras coisas suficientemente fortes para nos fazer refletir. Refletir o quanto não sabemos o que ocorre do lado de lá dos muros de nossas moradias.

Não somente o livro, mas vale muito a pena também assistir ao documentário filmado e no YouTube existe, divido em partes, o que já foi mostrado na tv. Indico não somente como material para conhecimento, mas também para análise de como existe um mundo além do que nossos olhos estão acostumados a observar e ainda é possível entender que isso pode ser apenas a ponta do iceberg.

Postado em: Resenhas
Tags: , , ,

6 Comentários em “Resenha – Falcão-Meninos Do Tráfico”


Avatar
Gleice Couto em 21.01.2013 às 11:34 Responder

Tenho muito vontade de ler esse livor, sabe? Gosto de livros que nos dão um choque de realidade, nos tirando de nossa zona de conforto. É o que parece acontecer com esse.

Novamente, ótima resenha de um livro, infelizmente, pouco falado na blogosfera. 🙂

Beijoooos

Ragner
Ragner em 21.01.2013 às 12:28 Responder

Cara Gleice! Quando li Falcão, fiquei mesmo tocado e assustado com o que não aparece nas mídias usuais. O que é relatado, não está além do que possamos imaginar, mas sem dúvida impacta e nos faz pensar. Vale muito a pena viu.

Valeu pelo comentário e visita.
Beijão.

Responder

Avatar
Celso Athayde em 22.01.2013 às 23:23 Responder

Esse resumão tá tão bem escrito que até fiquei um pouco constrangido por ter escrito o livro rs . Poucas coisas li sobre a obra com tanta lucidez, independente de ser elogio ou nao. tamo junto

Ragner
Ragner em 23.01.2013 às 10:11 Responder

Valeu pelo comentário Celso. Nos sentimos bem entusiasmados a ler e escrever cada vez mais quando temos essa participação do próprio autor.

Volte sempre, rsrs.

Avatar
Gabriel em 23.01.2013 às 08:59 Responder

Comentário do autor é moral hem? =)

A resenha ficou muito boa mesmo, vou procurar o livro pra ler…

Ragner
Ragner em 23.01.2013 às 10:15 Responder

Valeu meu caro. O trabalho continua, kkk.


 

Comentar