Resenha – I am America (and so can you!)
por Patricia
em 08/07/13

Nota:

imagesSou fã de Stephen Colbert há muito tempo. Não lembro como conheci seu programa, mas ainda bem que conheci. De 2a a 5a ele comanda o Colbert Nation (com todos os episódios disponíveis online) – e comenta as notícias do momento de uma maneira que, pessoalmente, eu nunca tinha visto. Colbert interpreta um personagem de mesmo nome que é de extrema direita, religioso fundamentalista (católico) e patriota ao extremo. Eu sei, é difícil imaginar que essa descrição possa resultar em algo engraçado, mas confie em mim, é mais do que isso. É genial.

Com sarcasmo e ironia em cada célula, Colbert apresenta a sociedade americana que muitos não querem acreditar que existe: uma sociedade falha como todas as outras. São críticas extremamente bem construídas mas entregues com tanta sutileza que não me supreendi quando descobri que muitos republicanos o viam como exemplo. (Republicanos, nos EUA, tendem a ser de direita defendendo tudo o que citei no parágrafo anterior. Democratas tendem a ser de esquerda. Digo tendem porque a linha entre eles pode ser um pouco cinza).

Então quando descobri que ele tinha lançado um livro..hum…patriótico, me interessei em saber o resultado.

O livro começa com “Se você abriu esse livro, você já se tornou 25% mais patriota.” Essa frase dá o tom do resto. Stephen analisa todas as bases da sociedade americana sob o prisma do patriotismo e do que Deus quer (ele acredita que Deus e América são sinônimos): como criar a família ideal para que os Estados Unidos continuem como a primeira nação do mundo, como dominar animais para mostrar quem é a raça forte, como cuidar dos idosos que não contribuem em nada e sugam tudo do Estado….e por aí vai. Aqui está o conselho dele sobre a relação homem X mulher X quem ganha mais – tradução livre:

“Claro, é ótimo que sua esposa trabalhe para ajudar a pagar aquelas viagens extras, mas a mulher nunca pode ser a fonte primária de dinheiro da família. Seus filhos vão ver isso, perder o respeito pela mãe, e decidir virar gay. É conhecido como rebelião adolescente e eu já vi paradas cheias deles.”

Esse é o tipo de coisa que se você não conhece o tom sarcástico do Colbert, acaba perdendo a piada. Então, se você tem interesse em ler esse livro, recomendo muito que você assista alguns episódios do Colbert Nation para entender o clima que ele cria quando fala essas coisas com cara séria.

A edição desse livro é incrível! Cada página é personalizada de uma maneira que nunca vi em outro livro adulto. É quase como um guia didático para o patriotismo. Você encontra quadros, fotos, desenhos e até adesivos para você marcar as partes com as quais você “mais concordou com Colbert.”

IMG_1873

IMG_1875

IMG_1876

O nível de inglês é intermediário e é tranquilo para ler. As referências à cultura local podem atrapalhar um pouco mas com uma simples pesquisa, isso a gente resolve. É um livro que fiz questão de trazer para o Poderoso porque Colbert é o tipo de jornalista que eu gostaria de ver mais no Brasil. O que fala a verdade, ainda que de brincadeira, e traz para a televisão assuntos importantes para a vida política do país.

Ano passado, para demonstrar para o povo leigo a babaquice dos pacotes privados que pagavam pelas campanhas políticas, Colbert criou um pacote próprio, o “Colbert Super Pac” e arrecadou milhões mostrando como é fácil manipular enormes quantias de dinheiro legalmente em nome de um candidato e, detalhe, sem prestar satisfação nenhuma. Gastou o dinheiro fazendo campanhas contra políticos em estados-chave da eleição. Uma forma divertida e clara para explicar que sigilo e política não podem andar de mãos dadas.

Se você ainda achar que esse é um livro para levar a sério, o livro tem um selo na capa. Pois bem, esse selo é o prêmio COLBERT de excelência literária. 😉

Recomendado forte!

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha – I am America (and so can you!)”


 

Comentar