Resenha – Kafka E A Boneca Viajante
por Ragner
em 04/10/13

Nota:

Índice

Ler Kafka é bem interessante. Li apenas dois de seus livros ( A Metamorfose e O Processo) e já deu para perceber como ele conduz personagens complexos e sem muita explicação do que ocorre com eles. Kafka trabalha situações nada corriqueiras e vai construindo histórias, que mesmo um tanto absurdas, podem muito bem criar aquela sensação de que seria mesmo possível, não que se transformar “fisicamente” em um inseto, como em A Metamorfose”, mas se transformar em um ser depreciativo, como tal, poderia muito bem acontecer com qualquer um, quando a vida perdesse certos sentidos…

No caso do pequeno livro que resenho para hoje, Kafka é um personagem, mas a história tem uma profundidade recorrente de livros escrito por ele. Sendo o protagonista o próprio, vamos acompanhando dia a dia um escritor que faz o possível para contar a história de uma boneca que viaja pelo mundo afora, uma boneca que vai ensinando a uma gentil menina a viver todos os dias da melhor maneira possível. Se o fato é totalmente ficcional ou se foi real na vida de Kafka, eu não sei ao certo, mas tudo foi contado como se pudesse ter sido verdade.

Durante uma manhã em uma praça, Kafka passava um tempo descansando enquanto percebeu uma menina (Elsi) chorando. Ao tentar descobrir a causa do choro ele vai puxando conversa com ela até ela contar que sua boneca (Brígida) havia sumido e que estava muito triste por isso. Para tentar acalma-la, ele inventa uma história sobre ser um carteiro de bonecas e que teria em mãos uma carta que deveria entrega-la, explicando que Brígida não tinha sumido, mas sim viajado pelo mundo afora, já que sua vida agora precisava tomar novos rumos.

KafkatracaNo dia seguinte, como havia combinado de entregar uma carta. Kafka espera por Elsi, que chega cheia de curiosidade, mas sem muitos questionamentos, ela pede para que ele conte tudo o que estava escrito, tudo o que sua querida boneca tinha para contar. Dia após dia, os dois novos amigos se encontravam na praça religiosamente, e enquanto um lia cartas cheias de emoção e aventura, a outra ouvia atentamente, ávida por notícias e cada vez mais interessada em saber como estava a nova vida de sua antiga boneca.

Mesmo doente e com sua tuberculose atacando seu sono quase que todas as noites, Kafka ainda continuava a escrever todas as cartas para poder trazer alegria e conforto para a pequena amiga. Mas isso também o deixa feliz. Mesmo não conseguindo seguir com alguma obra, ele se dedicava ao trabalho de criar viagens e experiencias da boneca que dava a volta ao mundo diariamente.

A naturalidade do pensamento infantil, a ingenuidade de uma criança em relação ao mundo à sua volta, a paixão sem limites de um ser inocente, envolve todo o enredo presente nessa obra. Apesar de poder ser para um público certo para lê-lo, o livro acentua todo um questionamento que acrescenta à adultos, ainda mais no que tange a recuperar crenças e esperanças que perdemos com  tempo ao viver cada dia uma vida atarefada e bem atribulada. Todo o apreço da confiança, o desejo cotidiano de conhecer coisas novas e o gostoso sabor de desconstruir o que parece impossível, deixa com que o leitor se deleite com o que se apresenta em cada página.Kaflustracao1

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

2 Comentários em “Resenha – Kafka E A Boneca Viajante”


Avatar
leinir ferreira em 07.11.2013 às 10:33 Responder

amei o livro de kafka é muito bom me emocionei muito

Ragner
Ragner em 07.11.2013 às 12:17 Responder

Esse livrinho é bem gostoso mesmo. Mega indico os demais dele, mais profundos.


 

Comentar