Resenha – Notícia de um sequestro
por Patricia
em 28/11/16

Nota:

53442

 

O nome de Pablo Escobar voltou à “boca do povo” com o lançamento da ótima série do Netflix – Narcos. E ainda que ele não tenha sido o primeiro traficante famoso na Colômbia, foi ele quem levou o que ficou conhecido como narcoterrorismo a níveis globais fazendo o mundo assistir à guerra que ele travou com a polícia e o Governo colombianos nos anos 90. A série da Netflix tem seus momentos de florear um pouco a realidade, mas muitas das cenas de terror, principalmente, foram baseadas em histórias reais.

No livro ‘Notícia de um sequestro’, um dos maiores autores da Colômbia retrata um desses episódios: os sequestros de jornalistas na tentativa de forçar o Governo a desistir da idéia de extradição. Basicamente, na guerra contra homens inescrupulosos, o Governo colombiano usava uma arma forte: a justiça norte-americana. Como a venda de drogas acontecia em território americano, os traficantes poderiam ser extraditados e julgados nos Estados Unidos. O sistema americano assustava os traficantes colombianos porque sabiam que seus contatos e sua propina teriam menos tração e a condenação era certa. Acoado, Escobar tomou medidas drásticas e começou um longo reino de terror contra jornalistas.

No livro, Gabo explica que a idéia de tratar desse tema em um livro veio quando Maruja Pachón e seu marido Alberto Villamizar o procuraram para contar sobre os 182 dias em que Maruja ficou sob o poder dos homens de Escobar. Entre 1990 e 1991, Escobar sequestrou 10 jornalistas conhecidos no país, sendo Maruja, talvez, a mais famosa desse grupo.

‘Notícia de um sequestro’ é um retorno de Gabo às suas origens jornalística de maneira magistral. Ele começa contextualizando a situação da Colômbia e o estado das negociações do Governo com os narcotraficantes. As coisas não iam nada bem e o Governo passava medidas que tentavam estimular os traficantes a se entregarem, mas a extradição era o grande ponto de discordância. Com isso, Márquez estabelece o cenário de terror que se instalou no país com ambos os lados tentando mostrar força.

Maruja não foi a primeira pessoa a ser sequestrada pelo Cartel de Medellín e Márquez nos apresenta um a um a todos os casos. As estratégias eram bem pensadas e os sequestradores eram frios e destemidos. A pesquisa que deu origem ao livro é extensa e detalhada e juntando isso ao talento jornalístico do autor, vira quase um livro de suspense. Quando o cativeiro de três das sequestradas é descrito no livro, a sensação proveniente da leitura é de falta de ar. Quando ele descreve a violência dos sequestros, a sensação é de terror.

Depois de três anos de pesquisas, em ‘Notícia de um sequestro’, Gabo confirma que seu talento como escritor vai muito além do realismo mágico. Ele consegue transformar a realidade em um texto contundente, forte e um documento histórico do estado de sítio que se instalou na Colômbia naqueles anos. Mais ainda, ele mostra que Escobar tinha uma frieza intrínseca que não permitia que ele entendesse a diferente entre o bem e o mal: enquanto sequestrava pessoas e aterrorizava as principais cidades colombianas, Escobar discorria em cartas a seu advogado sobre como a proposta do Governo ia contra os princípios básicos dos direitos humanos. Gabo capta bem essa dicotomia mesmo com Escobar sendo um personagem indireto.

Mais um livro para a cota do “Gabo não decepciona”.

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

4 Comentários em “Resenha – Notícia de um sequestro”


Avatar
Rodrigo Villela em 28.11.2016 às 09:04 Responder

Ótimo texto Patrícia!

Esse livro deve ser incrível, tenho muito interesse no assunto. Posso estar errado, mas acho que as origens jornalísticas do Gabriel García Márquez também aparecem, com maior discrição rsrs, no livro “Crônica de uma morte anunciada”.

Lembro que esse livro possui vários testemunhos diferentes sobre a morte inevitável do protagonista, fato que me lembrava muito a própria pesquisa jornalística.

Avatar
Patricia em 28.11.2016 às 09:15 Responder

Acho que dadas as devidas proporções, sim, podemos analisar o Crônicas dessa maneira apesar de ser mais uma novela. Todo livro exige perquisa de certa forma, mas acho que na narrativa de Notícia é que temos o Gabo jornalista afiadíssimo, ele não se “esconde” sob o manto de romancista em nenhum momento. Depois que vc ler esse, me conta o que achou. 🙂

Avatar
Ademar Amancio em 11.12.2016 às 15:48 Responder

Muito bem escrito,a resenha,o livro… Quem sabe um dia!

Avatar
Patricia em 11.12.2016 às 15:52 Responder

Oi Ademar, muito obrigada. 🙂
E o livro vale a pena hein?! Conta depois o que achou.


 

Comentar