Resenha – O projeto Rosie
por Patricia
em 09/02/15

Nota:

rosie

O Projeto Rosie foi minha terceira leitura de 2015. Comecei o ano com dois livros fortes – Cartas a um jovem contestador e Bad Feminist – e decidi que precisava dar uma acalmada ou iria pirar. A escolha foi esse romance do australiano Graeme Simsion sobre o qual eu sabia muito pouco, mas me pareceu algo água com açúcar à primeira vista – que era exatamente o que eu estava procurando.

O livro narra a história do Prof. Dr. Don Tillman – um gênio da genética e uma pessoa sem qualquer habilidade social. Quanto mais eu lia, mais eu o via como o Sheldon do famoso seriado Big Ben Theory, talvez até um pouco pior. Tillman deseja encontrar uma esposa – pois essa parece ser o que era socialmente aceitável – mas com sua péssima aptidão para entender as mulheres e o contexto de um relacionamento amoroso, ele lida com essa idéia da única maneira que conhece: nasce o Projeto Esposa que vem acompanhado de um questionário de 16 páginas com perguntas criadas especificamente para excluir mulheres que ele acha que não combinariam com sua vida. Vida essa, extremamente regrada e planejada minuto a minuto.

As excentricidades do Professor poderiam ser irritantes, mas são apresentadas de uma maneira tão simples que acabam por fazer com que o leitor sinta-se próximo dele. Afinal, todos nós temos algumas excentricidades.

Claramente, Tillman tem algum tipo de autismo. E para uma pessoa tão inteligente, é interessante ver que ele não tem a mínima noção disso. Ele sabe que tem problemas com intimidade e sabe que seu “jeito de ser” não é exatamente o que as mulheres procuram. Pelo menos, ele ainda não havia encontrado nenhuma que se dispusesse a ficar com ele. Ele tenta alguns sites de encontro e algumas indicações de amigos, apenas para obter resultados frustrantes.

É aqui que, do nada, entra em sua sala Rosie – uma jovem bonita que quer conversar com ele. Sua intenção inicial era tirar uma dúvida para resolver uma aposta que ela fez com Gene – Professor da faculdade e melhor amigo de Don. Mas em uma situação típica de Tillman, ele acaba confundindo ela com uma indicação de Gene para o Projeto Esposa e a convida para sair. A história, a partir daqui, ganha mais ritmo, mais situações engraçadas e fica mais gostosa de acompanhar. Rosie é o tom de cor na vida cinza de Tillman. E é óbvio que ele não percebe isso imediatamente.

Rosie está em busca de seu pai biológico e, veja só, conhecer um expert em genética vem a calhar. Apesar de não fazer parte de seu planejamento diário, Tillman decide ajudá-la no que ele define como Projeto Pai.

O próprio título do livro já seria um spoiler considerável. Ao menos, o leitor já sabe que quando Rosie aparece, ela vai significar algo mais do que as outras pessoas na vida do Professor. Mesmo assim, não sabemos as reviravoltas que nos esperam. Simsion consegue colocar uma leveza no livro que acaba por ser adorável. A vida vista pelos olhos de Tillman é divertida do seu próprio jeito e, sendo o leitor já escolado em ironia, podemos sentir que entendemos algumas sacadas que nem mesmo o Professor entende. É como ser testemunha de uma mente incrível que nem mesmo sabe o que está acontecendo apesar de narrar a história. Esse é o grande ponto de comédia do livro.

Abri o livro esperando uma historinha boba, mas encontrei personagens divertidíssimos e mulheres poderosas (Rosie, por exemplo, está estudando para começar seu PhD de Psicologia). Para um primeiro trabalho, Simsion escreve como profissional de anos. Gostei da inversão dos papéis: um homem buscando uma parceira e deparando-se com as situações inusitadas de se estar solteiro em uma cidade grande. Pioradas, claro, por sua inaptidão social – Tillman é basicamente o anti-herói de sua própria história. O autor conseguiu evitar certos clichês que normalmente acompanham enredos como esse justamente por inverter o padrão “mulher desesperada busca parceiro loucamente.”

Um livro feliz em todos os sentidos.

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Resenha – O projeto Rosie”


 

Comentar