Resenha – O Velho E O Mar
por Ragner
em 19/09/12

Nota:

Livro pequeno, uma história curta, argumento sem grandes reviravoltas ou tramas mega elaboradas, eis o mote de O Velho E O Mar. Ernest Hemingway é considerado um dos maiores escritores norte-americanos da história e o livro em questão é dito como um dos mais famosos. Como isso é possível em um livro sem, aparentes, grandes atrativos? Simples…

A história de superação, perseverança, condicionamento em uma crença mais forte do que a própria natureza. Motivos mais do que necessários para instigar leitores ávidos por enredos que valorizam aquilo que todos mais querem: VENCER. (O homem almeja a FELICIDADE, e, com certeza, vencer nos deixa profundamente felizes).

Somos apresentados à um velho pescador que não desiste daquilo que acredita e à um menino que acredita veementemente em seu velho amigo. Durante 84 dias a pesca não está pra peixe (!!!, kk) e Santiago (o velho) continua tentando. Manolin (o garoto) foi tirado de sua companhia, pelo pai, que quer que ele trabalhe em um barco que dê sustento, mas o garoto não consegue ficar separado do velho – uma história de amizade verdadeira é visivelmente observada aqui -, tentando ajuda-lo da melhor forma que consegue e pode. No 85º dia, ambos acordam cedo, os preparativos começam ainda de madrugada, como normalmente se faz em uma pescaria. Manolin acompanha Santiago até a praia e ambos se despedem com um “Boa sorte”. Uma simples despedida, cheia de respeito e confiança.

Sozinho, sem a companhia de seu melhor amigo, remando mar adentro, o velho se vê cercado pelo mar límpido e pelos animais marinhos. Tartarugas, água mala (água viva), peixes voadores e cardumes que se mostram próximos, o afastava da solidão completa. Enquanto tentava se aproximar dos peixes, ia narrando episódios antigos e como era a vida no mar. A falta que o garoto fazia e a determinação de conseguir, tomava conta de seus pensamentos. Era um pescador experiente, conhecia as artimanhas e peripécias marinhas e não queria que tudo ficasse reservado somente ai passado. Histórias antigas serviam de roteiro para passar o tempo. Ele relembrava como era a vida e outras aventuras no mar, até que fisga um peixe diferenciado. O peixe que mudaria sua vida. Durante as horas em que batalhava com o peixe, um respeito enorme tomava conta dele, arquitetava as múltiplas possibilidades de vitória e estava rigidamente convicto de que não desistiria, mas a natureza é implacável e o sofrimento é certo.

Dias se passaram enquanto a batalha entre os dois era travada. O sol castigava de forma fatigante o corpo e os olhos do velho, a linha presa ao peixe cortada suas mãos e o cansaço pedia trégua, mas a certeza de que poderia e que iria ganhar era muito maior do que qualquer outra coisa na vida. Com tempo, a sabedoria, paciência, determinação e experiência de Santiago vence e o peixe é derrotado, mas ainda existiam outros desafios. Desafios para um retorno que significaria a glória. Tubarões vão atacando o peixe morto e o velho vai conseguindo se livrar de todos. Até chegar a costa sua vida corria perigo, mas ele estava disposto a enfrentar todos os desafios que pudessem aparecer à sua frente.

Santiago volta com a carcaça do peixe, mas passa a ser respeitado pelos outros pescadores que observam o tamanho do pescado e entendem que o velho não é um simples velho, mas um homem estranho que conseguiu superar as dificuldades e a superar a si mesmo, lutando contra a natureza e saindo vitorioso.

O livro discursa sobre desafios a serem superados, sobre amizade, sobre a vida como ela verdadeiramente é. Somos afligidos diariamente por ocasiões que nos cobra ações e decisões, sem se importar com nossas vontades. Existem momentos em que somos só nós e a vida, e em tais momentos, nossa crença em nós mesmos é o que mais importa.

 

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

11 Comentários em “Resenha – O Velho E O Mar”


Avatar
Luiz Carlos Dias Pinto em 09.08.2014 às 21:01 Responder

Somente olhei o filme há 30 anos atrás e achei fascinante a luta do Velho com o peixe espada, que até aproximar-se alguns metros nem o Santiago sabia do que realmente se tratava, nem tampouco quem assistia o filme naquele momento, fiquei super curioso para saber de que peixe tinha fisgado a isca e oferecia tanto trabalho ao Velho, quando de repente aquele enorme bichano de aproximadamente 5 m e com 700 kg salta para fora d’agua se debatendo e o velho santiago sem forças para puxar a linha. Mais tarde a desolação de deparar-se com tubarões roendo sua conquista.
Foi algo que nunca esquecerei de minha adolescência, pois sempre gostei de filmes de ficção, bem como (abrindo um parêntese) “Uma Odisséia no Espaço” que marcou na época.
Obrigado.
Luiz Carlos / Canoas – RS

Ragner
Ragner em 12.08.2014 às 18:11 Responder

O filme não conheço, mas a leitura do livro é mesmo marcante. A aventura de acompanhar a odisseia do velho pescador é fantástica.
Abraços Luiz

Avatar
David Ferreira em 08.02.2015 às 12:23 Responder

Adorei este livro, principalmente porque é um livro muito pequeno mas é muito intenso e cada página é carregada de significados. Talvez seja um bocado suspeito por dizer isso, pois Ernest Hemingway é o meu escritor preferido juntamente com John Steinbeck.

Ragner
Ragner em 10.02.2015 às 10:42 Responder

Quero ler mais Hemingway e pelo que disse, já pretendo conhecer o Steinbeck. Valeu pela dica.

Avatar
pedro alves em 31.10.2015 às 23:51 Responder

muito bom….

Avatar
Ademar Amancio em 13.12.2016 às 13:02 Responder

Não li ainda,e não vi o filme.Eu não entendi a comparação com ‘Uma odisséia no Espaço’do Luiz,mas…

Eu & o Mar – Fessora Diana em 31.05.2017 às 11:52 Responder

[…] me fazem pensar que estou num livro de Hemingway (o velho e o mar) […]

Avatar
geralda em 25.11.2017 às 18:40 Responder

boa noite
Adorei a resenha, esse é meu primeiro contato , mas não será o último.
Parabéns.

Avatar
Patricia em 25.11.2017 às 21:43 Responder

=* Obrigada pela visita. 🙂

Avatar
Melissa Simionato em 27.04.2019 às 19:43 Responder

Muito obrigada por esta iniciativa de vocês, por esse blog e por todas as incríveis resenhas que vocês publicam aqui. Elas são sempre tão simples e bem estruturadas, que no final de cada uma, eu sempre acabo com mais um livro na listinha de leitura. Grata!

Avatar
Patricia em 16.05.2019 às 12:11 Responder

Ahh…obrigada pela visita e ficamos muito felizes por vc gostar do nosso conteúdo. =D


 

Comentar