Resenha De Quadrinhos – Ombros De Gigantes
por Ragner
em 02/07/13

ombros-de-gigantes_capa-500x694

Amantes, amadores, de astronomia podem ter com essa HQ, um aliado bem interessante. Os desenhos são simples e os diálogos também, entrelaçando situações verídicas com uma ficção que procura ajudar no entendimento e melhor interpretação do que ocorreu na história da humanidade em relação a astronomia. E mesmo que tudo de mais importante não esteja incluída aqui, podemos acompanhar fundamentos essenciais sobre o estudo dos astros e do cosmos.

Outra condição muito legal presente na HQ é a apresentação e o prefácio que justificam a existência dela, contextualizando e explicando o formato escolhido para conduzir uma aventura em busca do conhecimento para não iniciados e facilitando o esquema das teorias mais basilares desde os gregos até Isaac Newton e contando um pouco sobre a astronomia no Brasil.

dest_v001_001

Somos levados a Grécia Antiga e acompanhamos Aristarco observando estrelas e logo em seguida se encontrando com Arquimedes e Eratóstenes. Os três discutem sobre o modelo Eudoxiano. Aristarco discorda do que Eudóxio compreende e explica um modelo novo, colocando o sol no centro do universo, com a Terra e outros planetas circulando ao seu redor, com uma esfera de estrelas fixas envolvendo. Entre mais conversas e discussões, os três conseguem interpretar que a Terra é redonda e concordam que o universo estava prestes a ser remodelado.

Em outro capítulo, partimos para o tempo de Johannes Kepler, onde após meses trabalhando com Tycho, chegou a conclusão de que as órbitas planetárias são elipses e o sol está em focos, com isso apontando posições como o Periélio e Afélio. No Periélio os planetas estão mais próximos do sol e suas velocidades de translação são maiores, no Afélio os planetas estão mais longes e suas velocidades são menores. Isso acontece tanto com o sol e os planetas quanto os planetas e suas luas. As três leis de Kepler (1ª das órbitas, 2ª das áreas, 3ª dos períodos) seguem esse esquema.

gravitacao-1

O seguinte cientista é Galileu Galilei, que viveu em um período complicado, já que o poder da igreja era gigantesco e o que desfavorecia o que já fosse lei, era criminalmente repelido. Suas suposições defendiam que o conhecimento da natureza favorecia a compreensão do mundo. Um de suas defesas é do lançamento oblíquo, desmistificando a aceitação de que algo lançado seguiria em linha reta, mudando de ângulo e depois descendo também em linha reta. Defendeu que o atrito em superfícies é o que impede um esfera se mover eternamente. Suas descobertas sobre os outros planetas e suas luas, desagradou a igreja e isso fez com que fosse levado a julgamento, tendo que negar publicamente suas descobertas e viver em prisão domiciliar.

Seguimos a história com Isaac Newton, suas descobertas sobre a gravidade, sobre velocidade e a estrutura de suas 3 leis.: Lei da inércia; Lei da força; Lei da ação e reação. Durante o enredo vemos contatos de Newton com Halley, Locke e Huygens, confirmando suas teorias e dialogando com outras até mesmo contraditórias, mas que chegam a mesma conclusão.

As histórias são criadas de forma a expor o cotidiano de cada, filósofo, físico e cientista, montando até mesmo situações que juntam a genialidade de pessoas que não necessariamente conviveram entre si. A última parte explica um pouco sobre a astronomia no Brasil, desde a época de D. Pedro I e a visita de Einstein à comunidade cientifica brasileira.

A HQ possui ainda alguns experimentos que podem ser facilmente realizados, como a criação de uma luneta e teste de leis, tanto de Kepler quanto de Newton. A frase final na parte de Newton vale a pena ser repetida e é ela quem dá nome a HQ: “Uma vez perguntaram ‘como você conseguiu realizar tanta coisa? Eu consegui enxergar tão longe porque estava sobre ombros de gigantes'”.

pg861

Postado em: Quadrinhos
Tags: , , , ,

Nenhum comentário em “Resenha De Quadrinhos – Ombros De Gigantes”


 

Comentar