Resenha – Por que os Homens fazem sexo e as Mulheres fazem amor?
por Thiago
em 06/05/15

Nota:

pease 2

Sei que podem achar meio estranho o livro que escolhi pra resenhar, mas é esse ai mesmo. Raramente me aventuro pelos livros categorizados como de auto-ajuda, primeiro por puro preconceito, segundo por não ver bons exemplares publicados e terceiro por não acreditar em auto-ajuda. Se você busca um livro pra te auxiliar em algo isso não pode ser considerado “auto” nada, o conteúdo presente no livro foi escrito por alguém, logo o autor está te ajudando com sua obra e não você fazendo algo para si.

Um dia na casa de um amigo vi este livro na estante, perguntei se já tinha lido, a resposta foi “li um pouco e achei interessante, leva pra você ler”, resolvi levar, li e aqui estou, meio surpreso.

Não se trata de uma grande obra que mudará sua vida, mesmo que a propaganda sobre prometa que o conteúdo presente será a panacéia para todas as brigas de casais e o fim das drs.

A primeira coisa que me chamou atenção ao pesquisar para realizar a resenha foi uma séria dificuldade em encontrar informações significativas sobre o casal de escritores Allan e Barbara Pease, autores deste e de vários outros títulos similares. Isso me intriga bastante, pois o livro tenta passar um caráter científico, mas não é bem sucedido nisso. Os autores são donos da empresa Pease International, que organiza palestras e seminários em empresas eventos sobre seus livros, misturando leitura corporal com uma boa dose de discurso motivacional.

Sei que o público alvo não é o acadêmico, aqui querem atingir uma gama variada de pessoas, o que justifica a linguagem, muito acessível e de certo modo divertida, trazendo uma leitura fácil sobre uma assunto árido. Fazendo com que a linha tênue entre os comentários engraçados e o machisto seja ultrapassada algumas vezes.

Deixa eu falar um pouco sobre a proposta do livro: uma pesquisa sobre o comportamento dos homen e da mulher, mostrando que são seres biológicamente diferentes e como isso interfere em suas ações do cotidiano.

A premissa do livro não é errada não, bem bacana a análise inclusive, o problema é como foi feita, pois pretende ser científica sem realmente ser. Cometendo assim a falácia da autoriadade, aliás você sabe o que é uma falácia? Uma falácia é um erro lógico, um engano de raciocínio que aparenta ser correto, ser verdade. Na falácia de autoridade recorremos a uma pessoa ou área de relevância para justificar uma posição, no livro a ciência é usada para comprovar algumas hipóteses sem ao menos citar o cientista ou os dados da pesquisa, em alguns momentos alguns nomes e dados aparecem. Outra falácia que podemos perceber com certa facilidade no livro é a da generalização apressada, que, como o nome já diz, utiliza como arumento supostamente válido uma conclusão precipitada a respeito de algo.

Ao analisarmos o homem e a mulher podemos perceber que por fatores histórico- sociais e culturais são bem diferentes, essa parte de extrema importância é citada no livro mas não bem utilizada na contrução dos argumentos para defender a hipótese central, que se agarra como um naufrágo a fatores biológicos e a teorias como a do Incosciente coletivo de Jung, porém o pscicanalista suiço mal é citado.

Acredito que alguns capítulos do livro podem ser úteis e de bom proveito para alguns relacionamentos amorosos, como o capítulo 4 “Falando e ouvindo”. Outros capítulos que afirmam pesquisas científicas não comprovadas como fato são bem tristes de ler, como exemplo temos o capítulo 8 “Gays, lésbicas e transexuais”, seguido pelo capítulo 9 “Homens, mulheres e sexo”.

Sei que no começo dessa resenha disse que fiquei meio surpreso com o livro, gostaria aqui de me corrigir. Vejo a surpresa como coisas boas que acontecem inesperadamente, mas quando não se trata de algo bom é susto. Fiquei então assustado com o livro, que até começou bem mas derrapou na casca de banana murcha do machismo.

Como nota dou um café ralo, frio e em um pequeno copinho de plástico.

Mesmo assim, só pra não perder o costume, boa leitura a todos.

pease

Postado em: Resenhas
Tags: , , ,

1 Comentário em “Resenha – Por que os Homens fazem sexo e as Mulheres fazem amor?”


Avatar
Mauricio Santos em 19.08.2019 às 01:35 Responder

Olá,

Ótima resenha, transmitiu exatamente o que eu penso sobre este livro… Abominável.
Se há algo que eu odeio em livros “científicos” é este mal caratismo em utilizar supostas pesquisas como um “back up” para estes absurdos contados.

O livro não é machista embora; é apenas sexista e esteriotipista, mesmo sendo um conservador sei que não somos definidos pelo nascimento, me lembro de um capítulo onde falaram que os homens sempre são melhores em xadrez; na hora me veio à cabeça o discurso de um membro sexista do parlamento inglês, reafirmo aqui, livro sexista e esteriotipista.

Sobre o casal, auto declarados socio biólogos e que vivem apenas de vender livros sem fontes ou mesmo conhecimento científico…


 

Comentar