Resenha – Terapia – Avareza
por Ragner
em 11/07/14

Nota:

terapia-avareza-ariel-dorfman-14480-MLB4279718963_052013-O

A coleção Plenos Pecados é quase um desafio de leitura. Pecado atrás de pecado podemos ler sobre a ótica de escritores diferentes. Comecei com uma linha de pensamento sobre as obras, tentando analisar cada uma delas, mas como não conheço todos os autores envolvidos, acredito que esse caminho não será de todo satisfatório e então resolvi simplesmente desfrutar de uma boa literatura, já que todos os envolvidos parecem escolhidos entre grandes literatos (os brazucas eu até conheço). Alguns livros foram mesmo melhores que os outros, até aqui. Pretendo ler os que ainda me faltam e mais resenhas sobre a coleção podem rolar.

Durante toda a história acompanhamos o tratamento do empresário Graham Blake. Super bem sucedido, com uma família aparentemente perfeita, com um bom entrosamento com seus funcionários, uma ex-mulher como sócia e uma amante maravilhosa. Mas sua vida não é nada harmônica, noites em claro, dores de cabeça incessantes, crise de identidade. Blake então é submetido a uma terapia inovadora, que lhe transmite poderes supremos para poder utilizar ao seu bel prazer. Uma família inteira passa a depender do que ele deseja ou não.

Para o tratamento, ele passa a vigiar 24 horas a vida de Roxanna e seus familiares, Roxanna passa de um simples objeto de observação e aprendizado para uma obsessão desenfreada e compulsiva. Blake chega ao limite e vai descobrindo que a realidade não é exatamente aquilo que está a sua frente. Mas quando tudo parece seguir para uma possível cura, o que é real e o que deveria ser apenas uma experiência de tratamento, vão tomando proporções fora do controle e sanidade mental de Blake fica a deriva.

Podemos acompanhar a narrativa ora por Blake, ora pelo doutor que é o encarregado do centro de terapia em que ele passa a ser tratado, o Dr Tolgate. Entre a visão de um e o entendimento do outro, somos direcionados a crises de consciência e a diagnósticos que tratam da insanidade humana que deslumbra os pecados mais íntimos do paciente.

Com estilos bem diferenciados, cada leitura pede uma apreciação ímpar e o entendimento também exige algo similar. Em Terapia, que versa sobre a avareza, só consegui captar o enredo sobre tal pecado bem depois da metade do livro, o que não me agradou muito. Até lá, tudo convergia apenas para o título. Vamos lendo, página à página, uma narrativa sobre terapia, que me pareceu até mesmo o item primordial do livro. O tratamento da doença que acomete o protagonista me parece o fio condutor de tudo que vai acontecendo e a avareza parece mais consequência do que causa.

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

1 Comentário em “Resenha – Terapia – Avareza”


Avatar
telma em 11.01.2016 às 10:46 Responder

Por mais que tenha me esforçado, não identifiquei a avareza dentro da obra.Alguém pode me esclarecer melhor?
Obrigada


 

Comentar