Resenha – Um Desafio Para Cross
por Ragner
em 05/07/13

Nota:

Cross

 

Meu 2º contato com Alex Cross segue com um dos livros anteriores de Eu, Alex Cross. James Patterson tem no protagonista um excelente personagem e isso vai sendo bem caracterizado em cada livro. A série sobre Cross já está incluída, fortemente, entre meus interesses literários, da mesma forma que Myrion Bolitar e Jack Reacher. Com certeza isso me ajuda um pouco na construção do meu Dionísio.

O começo serve muito como introdução dos personagens chave da história. Somos, de cara, apresentados à um psicopata chamado de “O Açougueiro”, que flerta com suas vítimas e depois, ou as mata ou as aterroriza com fotos de outras vítimas já mortas (pelo nome dá para se ter uma ideia de como podem ser tais fotos) e também conhecemos mais sobre o agente do FBI e a sua família (Cross era casado, tinha os filhos e sua mulher esperava mais um). Tudo aqui é rápido e esse começo serve mesmo só para introduzir os principais (algo que gostei muito), já que a parte seguinte dá um salto de alguns anos.

Ainda no início sua esposa é vitimada por um atirador que não foi encontrado. Cross passa anos atormentado por isso. O Açougueiro trabalhava para a máfia italiana instalada nos E.U.A. e também vivia atormentado por pesadelos com seu pai, o Açougueiro original, ainda mais maníaco e violento.

500_9789895575596_Bisturi

Na parte dois do livro, 12 anos após a morte de Maria (esposa de Cross), Alex ainda trabalhava para o FBI e Nama Mama (sua avó) o colocava contra a parede por causa de seus casos perigosos e escasso tempo com os filhos. Ela foi morar com eles ainda quando ele estava de luto, para ajudar com as crianças. Depois de um caso que envolveu uma parte criminosa da SWAT e um ferimento a bala sofrido por Cross, Nama Mama foi embora e o deixou sozinho. Dias depois ela retorna e Alex chega em casa dizendo a todos que pediu dispensa do FBI.

Mas o passado sempre dá um jeito de aterrorizar e o Açougueiro continua na ativa, o assassino de sua mulher nunca foi encontrado e os casos perigosos nunca se extingue. Cross é o único que pode desvendar crimes hediondos e sua vida, mesmo correndo perigo, e as de outras pessoas, dependem dele.

Patterson consegue entrelaçar momentos de tensão e emoção de forma natural e até as situações cômicas de um pai solteiro com os filhos e uma avô controladora, se encaixam muito bem. O personagem possui uma carga psicológica muito forte e sua construção como um herói nada perfeito, faz suas histórias bem verossímeis e que nos envolve muito. Fica mais essa outra dica.

Postado em: Resenhas
Tags: , ,

2 Comentários em “Resenha – Um Desafio Para Cross”


Avatar
Alessandro em 22.10.2014 às 12:48 Responder

Queria saber o nome e que personagem é:
Exemplo: Cross – Personagem principal…

Ragner
Ragner em 23.10.2014 às 11:43 Responder

O nome do protagonista é Alex Cross. Na resenha falo sobre ele. Abraços.


 

Comentar