Revisitando – Escalpo
por Gabriel
em 12/07/14

Nota:

Escalpo

Vale revisitar resenha feita por você mesmo? Vale, se é uma resenha feita há muito tempo, no começo de uma história, e que agora pode ser feita com a visão de quem chegou ao seu final.

Escalpo é uma história em quadrinhos adulta, publicada na revista mensal Vertigo, da Panini. A revista era publicada no Brasil até pouco tempo, e durou 51 números mensais (marca muito respeitável no mercado de quadrinhos brasileiro). Esta história acompanhou o título durante boa parte desses 51 números.

A revista Vertigo reproduzia o conteúdo do selo de mesmo nome, publicado nos Estados Unidos pela DC Comics. O selo se dedica a quadrinhos adultos de temáticas diversas. Desta vez, a temática apresentada é a do mundo indígena americano nos tempos atuais. A realidade das reservas, tomadas por “coronéis” e embebidas de cassinos, drogas e dinheiro ilícito, sempre acompanhados da sua dose de armas e criminalidade, é o pano de fundo de uma história sobre tradições, família e um anti-herói.

Dashiell Cavalo Ruim é filho de Gina, uma militante pelos direitos indígenas e pela liberdade da reserva Rosa da Pradaria. O comando do território está nas mãos de Corvo Vermelho, um líder com mais ou menos a mesma idade de Gina, com um passado em comum com ela. Vagando pelas pradarias, vemos o Apanhador, um homem misterioso que também viveu junto a Gina e Corvo Vermelho em outros tempos. Carol, a filha de Corvo Vermelho, completa o cenário como o amor de infância de Dashiell. Já o agente Nitz, do FBI, é a principal figura não indígena na reserva.

A história começa quando Dash (Dashiell) retorna à reserva depois de anos. Ao longo de seus diversos capítulos mensais, vemos como ele se infiltra na operação criminosa de Corvo Vermelho, a mando do FBI. A intenção do agente Nitz é usar o garoto como isca para desmascarar Corvo Vermelho e tira-lo do poder. Com o passar do tempo, Dash se envolve com a reserva e as coisas ficam muito mais nebulosas. O leitor, em boa parte do tempo, não consegue discernir de que lado Dash realmente está. E nem ele.

Após alguns números, Gina Cavalo Ruim é morta. E aí as coisas mudam. A história fica muito mais sombria e temos a impressão de que o roteiro se perde um pouco. Mas logo em seguida ele se reencontra e partimos para uma jornada envolvente, em que o assassino de Gina é buscado por diversos personagens, culminando em um final muito bem desenhado e que fecha todas as pontas da história.

Escalpo tem alguns problemas, como a falta de padrão visual que acomete a história em alguns momentos. Lá pelo meio do roteiro, temos a impressão de que a forma como o desenhista retratava Dash, por exemplo, muda de repente. Mas, tirados esses detalhes, a arte é impecável e reflete o que há de melhor nos quadrinhos modernos, com a colorização tendo um papel muito importante e dando o tom de muitas das cenas. A arte adulta retrata bem as cenas de violência, sexo e diversas outras não recomendadas para menores de 18 anos.

Escalpo é recomendado para quem quer ler um épico sobre a vida dos índios americanos hoje, com um ponto de vista pessimista. É interessante também para quem procura a boa e velha trajetória do herói, aqui retratada em um homem que talvez não tivesse a real vocação para isso. Com certeza uma ótima HQ.

Postado em: Quadrinhos, Revisitando
Tags: , ,

Nenhum comentário em “Revisitando – Escalpo”


 

Comentar